Torrent precisa fazer o download de Jesus

Compartilhe:
Email this to someone
email
Share on Facebook
Facebook

A missão não parece ser das mais difíceis. Assumir o entrosado time do Flamengo e manter o excelente padrão de jogo que resultou em vitórias exuberantes e conquistas em 2019 e no primeiro semestre de 2020. 

Domènec Torrent chegou ao “Mengão” para substituir o festejado Jorge Jesus. Manter as vitórias é a meta. Chegou com pompa. Com a moral de ser auxiliar de Pep Guardiola. Conhecimento europeu. Porém, a fórmula do bolo ainda não cresceu. Pelo contrário, o bolo perdeu o gosto. 

A estreia – com derrota, contra o Atlético Mineiro – já deu sinais de uma alteração no padrão de jogo. Torrent foi poupado de críticas severas por razões específicas, como a demora para o Fla entrar em campo devido ao hiato entre a final do Carioca e o início do Brasileirão e a clara ausência de entrosamento entre técnico e time pelo pouco tempo de trabalho. Porém, o segundo jogo preocupou. 

A derrota por 3×0 para o Atlético Goianiense apresentou uma atuação pífia – que o placar reproduz – casada a uma falta de vontade notáveis. Um elenco que parecia blasé. Após o jogo, algumas informações pipocaram: Rafinha pode estar de saída. Filipe Luís disse que “o time saiu do trilho”. A impressão é que houve perda de foco. E isso pode ter ocorrido pela saída de Jorge Jesus. O português é extremamente querido no elenco. A sua saída, com pagode na beira da piscina, mostrou isso. 

Torrent precisa perceber seus erros para não desandar. E para isso, precisa ter humildade. Já vi excelentes times irem pro espaço por conta da troca do técnico, mesmo que as peças fossem iguais. Isso deve-se a um excesso de confiança na própria filosofia. Não estou aqui dizendo diretamente para imitar o antecessor, Porém, utilizando o trocadilho infame, em time que está ganhando, não se mexe. Torrent poderia manter a base e o estilo de Jorge Jesus e somente alterar algumas questões verdadeiramente suas. Se fizer isso, tem grandes chances de seguir o trilho do campeão. Cada um tem seu estilo, isso é óbvio. Mas utilizar os bons exemplos não faz mal a ninguém. 

O melhor elenco do Brasil não tem dificuldades para jogar futebol. É apenas se adaptar. Mas Torrent precisa “acelerar o download”, fazendo um trocadilho com seu sobrenome. Jorge Jesus também começou claudicante, mas logo encontrou o melhor jeito. Ele também pode copiar isto. 

A maldição dos pontos corridos  

Entra ano, sai ano e é a mesma coisa: a dupla GreNal enfrenta dificuldades nos pontos corridos. Em 2020, há mais uma oportunidade no Brasileirão. Desde 2003, apenas o RS – dos grandes centros – não ergueu a taça. Grêmio e Inter já bateriam na trave algumas vezes. 

Neste ano, o favorito absoluto – Flamengo – começou falhando. Abriu margem para outros crescerem neste início. Uma vaga na Libertadores já não é mais motivo de festa para a dupla. É hora de lutar para vencer. 

Que a dupla consiga fazer gordura e se credencie para a disputa. Está na hora de o Rio Grande do Sul ser campeão dos pontos corridos.  

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezenove + dezenove =