RS Seguro deflagra Operação Império da Lei e transfere 18 líderes de facções para penitenciárias federais fora do RS

Compartilhe:
Email this to someone
email
Share on Facebook
Facebook

Ação envolveu mais 1,3 mil agentes, 306 viaturas, sete aeronaves e quatro embarcações

Ação envolveu mais de 1 agentes – Crédito: Foto: Rodrigo Ziebell / SSP.

O governo do Estado executou nesta terça-feira (3) a maior ação planejada até o momento pelo programa RS Seguro. Com a participação de mais de 1,3 mil agentes e o emprego de 306 viaturas, sete aeronaves – seis helicópteros e um avião – e quatro embarcações, as secretarias da Segurança Pública (SSP) e da Administração Penitenciária (Seapen) deflagraram a Operação Império da Lei, que transferiu do município de Charqueadas 18 detentos com posição de liderança nas principais organizações criminosas gaúchas para penitenciárias federais fora do Rio Grande do Sul. A ação contou com a participação de 15 instituições das esferas estadual e federal.

Foram transferidos Alexandre dos Santos Teixeira, Bruno Fernando Sanhudo Teixeira, Cristian dos Santos Ferreira, Diogo Dutra Cachoeira, Emerson Alex dos Santos Vieira, Giodarny Bonocore da Silva, Ivan Richetti, Leandro Ribeiro Pereira, Liomar Antônio de Oliveira, Luis David Amaral de Souza, Luiz Fernando de Oliveira Jardim, Márcio Fabiano Carvalho, Marizan de Freitas, Michel de Souza da Silva, Rogerio Soares, Tiago Rafael Leges Ferreira, Vladimir Cardoso Soares e Wagner Wilian Domingues da Cruz. Todos faziam parte do comando de organizações criminosas do Estado. Os 18 ficarão isolados em penitenciárias federais – o destino individual não será revelado por questão de segurança.

O secretário da Administração Penitenciária, Cesar Faccioli, ressaltou que a Operação Império da Lei se insere em uma política estruturada de enfrentamento sistemático no combate à criminalidade violenta e organizada, com foco na qualificação de procedimentos do sistema prisional. “Neste sentido, a transferência e o isolamento de lideranças no sistema federal se mostram necessários. E é o que o Estado, integrado com a União, está fazendo. A operação continua, e a manutenção da ordem dentro e fora das unidades prisionais após o Dia D é a missão comum dos integrantes dessa força-tarefa interinstitucional”, afirmou.

O governador Eduardo Leite, que também acompanhou os trabalhos, ressaltou como fundamental para o sucesso da ofensiva a união de esforços das 15 instituições das esferas estadual e federal que participaram da Império da Lei. “Esse trabalho é a representação inequívoca do quanto a integração, que junto da inteligência e do investimento qualificado formam o tripé de premissas do RS Seguro, é essencial para termos efetividade nas ações de segurança. Seguiremos trabalhando com os demais Poderes e instituições em todos os níveis para assegurar o rigor na punição de criminosos e a proteção que a sociedade gaúcha merece”, destacou Leite.

Pelo RS atuaram Brigada Militar (BM), Polícia Civil (PC), Instituto-Geral de Perícias (IGP), Corpo de Bombeiros Militar (CBM), Superintendência dos Serviços Penitenciários (Susepe), Ministério Público e Poder Judiciário. A Secretaria da Saúde apoiou com acompanhamento do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu). Pela União, a partir de determinação do ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sergio Moro, para apoio do Departamento Penitenciário Nacional (Depen) e da Secretaria de Operações Integradas (Seopi), somaram-se esforços de Polícia Federal (PF), Polícia Rodoviária Federal (PRF), Agência Brasileira de Inteligência (Abin), Exército, Aeronáutica e Marinha.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × três =