Programa de Combate ao Tabagismo em Campo Bom

Compartilhe:
Email this to someone
email
Share on Facebook
Facebook
Crédito: Divulgação.

Deixar de fumar nem sempre é uma tarefa fácil e, geralmente, é preciso ajuda para enfrentar anos de dependência química e psicológica. Reativado em 2017, a previsão é que o próximo grupo do Programa de Combate ao Tabagismo tenha início em março.  Os interessados podem se inscrever na Secretaria Municipal de Saúde (SMS), no 2º andar do Centro Administrativo, de segunda a quinta-feira, das 12h30 às 18h30 e nas sextas-feiras das 7h30 às 13h30. Mais informações podem ser obtidas pelo telefone 3598 8600, ramal 8686, com Rita Spengler.

Saiba Mais:

Dos 12 usuários contemplados com o programa, 6 usuários concluíram o tratamento, sendo que destes 5 pararam de fumar e um deles reduziu consideravelmente o uso. Na última terça-feira, 22, os pacientes ganharam um certificado de conclusão, medalha de ouro para quem parou de fumar e medalha de prata para quem reduziu o uso do cigarro.

O prefeito Luciano Orsi parabenizou a todos e destaca a importância desta ação para o bem-estar da comunidade. “Além da redução dos riscos relacionados às doenças crônicas, há outros benefícios relevantes com a cessação do tabagismo como a melhora da autoestima, do convívio social, do desempenho de atividades físicas e da incorporação de hábitos saudáveis de vida. Isso faz parte da visão da Administração Municipal que, quanto mais se investe em prevenção e bem-estar, melhor será a saúde e a qualidade de vida da comunidade e teremos menos doenças relacionadas”, destaca Orsi.

A titular da SMS, Suzana Ambros Pereira, destaca o alto índice de abandono do hábito de fumar. “Neste grupo de agora, tivemos um índice de 41,6%, enquanto a média nacional gira em torno de 2%. Estamos muito felizes com estes números e estamos a disposição para quando estas pessoas precisarem de ajuda, pois o grupo estará aqui para dar continuidade ao tratamento, auxiliando com ânimo e disposição para seguirem em frente, incentivando estes pacientes a serem multiplicadores”, conta Suzana.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

6 + 2 =