Portão – Meg reivindica criação de cargo de educador ambiental

Compartilhe:
Email this to someone
email
Share on Facebook
Facebook

Vereadora ainda solicitou troca de lixeira na Rua Rodolfo Engel 

Troca da lixeira da rua Rodolfo Engel foi um dos pedidos de Meg – Crédito: Marcelo Fiori/CMP

Através da Indicação 21/2020, Mariângela Werlang (MDB), a Meg, solicitou ao governo Renato Chagas a criação do CC de coordenador do órgão gestor da Política Municipal de Educação Ambiental. Apresentada em plenário na sessão desta terça, 9 de junho, a proposição vem para suprir a necessidade de um profissional capacitado a executar todos princípios, objetivos, diretrizes e ações previstas na Lei 2.748/2019, que foi aprovada pela Câmara Municipal em junho do ano passado.

Havia na Secretaria da Educação uma docente responsável por essa função, mas ela se aposentou em abril. A vereadora defende que esse trabalho não pode parar. A nomeação de um novo coordenador é indispensável para que, cada vez mais, a relação entre o homem e o meio ambiente seja pautada pela sustentabilidade.

A legisladora argumenta, ainda, que essa política municipal incentiva as participações comunitárias, ativas, permanentes e responsáveis pela proteção, preservação e conservação do ambiente sustentável. “Entende-se a defesa da qualidade ambiental como um valor inseparável do exercício da cidadania”, salienta.

De acordo com Meg, a coordenação da educação ambiental ficará a cargo de um órgão gestor dirigido pelos titulares das secretarias do Meio Ambiente e da Educação. Sem haver um especialista a promover a sustentabilidade nas escolas, uma série de questões fica em aberto. “Quem irá coordenar o coletivo educador? Quem irá palestrar nas escolas? Quem dará continuidade ao plantio de árvores do projeto VerdeSinos, às trilhas para cadeirante e às visitas das escolas ao horto florestal e à usina de reciclagem?”, alerta a emedebista.

 

Lixeira comunitária  

 A vereadora protocolou na sessão desta terça-feira o Pedido de Providência 36/2020, em que reivindica ao Poder Executivo a substituição da lixeira comunitária na Rua Rodolfo Engel, localidade da Saibreira, Rincão do Cascalho, em benefício de cerca de 50 famílias. “A lixeira hoje existente, na subida da Rodolfo Engel, é um tonel improvisado e não comporta o lixo das famílias que residem nas proximidades”, explica. Com relação aos inúmeros pedidos de conserto de lâmpadas queimadas na cidade que vem recebendo, ela listou um a um e em breve os entregará ao setor responsável na prefeitura.

 

Proteção aos animais  

Na Tribuna do Legislativo, Meg também declarou ser imprescindível a criação do Conselho Municipal de Proteção aos Animais e um fundo municipal que o financie. Esse órgão, segundo ela, atuaria em ações de conscientização social, mas com foco na prevenção, combatendo os maus tratos e o abandono de animais nas ruas. “Meu colega Diego Martins se propõe a trabalhar junto, pois tem preocupação com este tema”, diz. Uma das ideias dela é isentar a taxa de fiscalização ambiental daquelas empresas que contribuírem com o fundo, além de criar um programa voluntário de castração de animais com engajamento de veterinários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dois × 4 =