PORTÃO – Joice demanda novos projetos à Secretaria da Saúde

Compartilhe:
Email this to someone
email
Share on Facebook
Facebook

Diversas reinvindicações estiveram em pauta no encontro  

Joice se reuniu com o Secretário Fábio Beneton – Crédito: Divulgação

Em sua primeira semana como vereadora, Joice Dillenburg (PDT), acompanhada do assessor, Juliano de Morais, se reuniu com o secretário da Saúde, Fábio Beneton, em busca de uma série de melhorias em benefício da população. Volta das marcações de consulta por telefone, compra de aparelhos ortopédicos, criação do cadastro de doadores de sangue e medula e coleta de exames a domicílio estiveram em pauta. “O secretário se colocou inteiramente à disposição e disse que todos esses projetos serão implementados”, salienta.

Segundo ela, a intenção é, através de campanhas, tornar Portão referência em cadastramento de doadores de sangue e medula, assim como ocorreu, no último governo, com doação de órgãos. Com uma lista registrada, as famílias, diante de necessidade de sangue, têm amparo mais rápido, tranquilo e resolutivo. “A ideia é fazer o cadastro quando as pessoas buscarem atendimento nas unidades de saúde ou forem à Secretaria fazer o cartão SUS”, antecipa.

Coleta de exames 

Preocupada com uma assistência mais confortável a pacientes acamados, Joice pediu a Beneton que o Município adote uma equipe volante que atenta a domicílio, porque há casos em que a pessoa, em função da doença, não consegue ir ao laboratório. “Neste contexto, também tratamos da compra de mais cadeiras de rodas e cadeiras de banho para empréstimo a famílias de baixa renda”, conta a vereadora.

Suspenso por conta da pandemia, o teleagendamento deve ser retomado depois que o Ministério da Saúde voltar a permitir atendimentos eletivos, porque hoje apenas casos de urgência e emergência têm encaminhamento. Ao secretário, ela também reivindicou o retorno do programa Saúde na Estrada e a ampliação da assistência em saúde mental mediante a contratação de mais psicólogos e psiquiatras. “Além disso, solicitamos que a prefeitura repactue com o Estado algumas especialidades médicas para as quais hoje não temos referência, como cirurgia neurológica e vascular.”

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *