PORTÃO- Adair volta a pedir respeito pela Câmara Municipal

Compartilhe:
Email this to someone
email
Share on Facebook
Facebook

Presidente da Câmara pediu parceria com o Executivo  

Adair Rocha, vereador reeleito em Portão – Crédito: Marcelo Fiori/CMP

A exemplo do que havia afirmado na sessão de 30 de junho deste ano, o presidente da Câmara, Adair Rocha (MDB), voltou a pedir que o Poder Executivo respeite a independência e a representatividade de cada vereador, independentemente de quem esteja na cadeira de prefeito. Ao comentar sobre os resultados da eleição municipal durante a sessão ordinária do dia 17, ele pediu que o colega Kiko Hoff (PDT), prefeito eleito, tenha uma boa relação com os membros da próxima legislatura, o que inclui encontros periódicos para debater os rumos do município.

“Vamos tomar um café juntos. Prefeito e vereadores. Discutir juntos os rumos e o futuro, porque os seus projetos [refere-se ao prefeito eleito] passarão por esta casa. De minha parte não haverá oposição se o projeto for em benefício do povo de Portão. Não farei oposição burra. Nenhum político vai a lugar nenhum sozinho”, explanou Adair na Tribuna do Legislativo.

Outro aspecto que ele destacou foi a coragem das 107 pessoas que concorreram a uma das 11 cadeiras na Câmara. “Dar o nome da gente para passar pelo crivo e julgamento da população não é nada fácil. Concorri nove vezes e me elegi sete, então conheço a terrível dor da derrota. Quem vence tem mais é que comemorar mesmo.” Além disso, citou nominalmente o nome de Dioni Bandeira, vereador mais votado no pleito do último domingo.

Agradecimentos 

Em seu pronunciamento, Adair agradeceu “ao Pai Maior” por, segundo ele, tê-lo reconduzido novamente a um mandato legislativo. Parabenizou os três colegas que se reelegeram (Leco, Leitão, Zé Toquinho), também os que voltam à Casa (João Pedro, Silvio Eurico e Márcio Lacerda, antes suplente e agora titular) e os estreantes (Joice, Dioni, Cleo do Liberdade, Fátima).

O presidente da Câmara lamentou pelos colegas que se candidataram, mas não tiveram votação suficiente para a reeleição. Disse que Gerson Roza não teve o trabalho bem reconhecido pela população, assim como Jorginho e Arizinho. Quanto ao colega Diego Martins, que concorreu a prefeito, destacou que é um político “promissor” e que tem ainda uma longa carreira pública pela frente.

Segundo Adair, a sua eleição não teria ocorrido sem o apoio de seu assessor, Coca, da família, dos pastores evangélicos, dos colaboradores e também os 498 eleitores que lhe escolheram nas urnas. “Minha equipe foi incansável, por isso sou grato. E reafirmo aqui que meu gabinete permanecerá aberto a toda a população”, encerra.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

4 × 2 =