Polícia aguarda reconstituição do caso do PM investigado pela morte da esposa

Compartilhe:
Email this to someone
email
Share on Facebook
Facebook

Thaiane de Oliveira, 29 anos, foi morta com um tiro, dentro de casa, em julho. Homem alega que atirou na companheira por engano.

Thaiane Oliveira (foto) foi morta em 24 de julho – Crédito: Divulgação.

A Polícia Civil aguarda a reconstituição do caso do policial militar suspeito de matar a esposa em Capela de Santana. Thaiane de Oliveira, de 29 anos, morreu em 24 de julho após levar um tiro dentro de casa. O homem alega que disparou contra a companheira por engano.

De acordo com o delegado Rodrigo Zucco, responsável pelo caso, a reconstituição objetiva verificar se os fatos conferem com o depoimento concedido pelo policial.

“A reconstituição do local do crime foi solicitada ao IGP. Estamos aguardando marcarem uma data, pedi urgência. A reconstituição vai ocorrer mais ou menos no mesmo horário em que ocorreu o crime, de madrugada. Vai ter a participação do suspeito, uma mulher fará a simulação como se fosse a vítima, para ver se o depoimento é compatível”, afirma o delegado.

 

Abalo psicológico

O policial militar ficou mais de um mês internado no Hospital da Brigada Militar, em Porto Alegre. De acordo com o boletim médico, ele estaria abalado psicologicamente e não poderia receber visitas a não ser de parentes próximos. Após receber alta, na última semana, ele prestou depoimento ao delegado. Em sua fala, o homem disse que acordou durante a madrugada com um barulho vindo da sala. Ele teria levantado com a arma em mãos e, ao ver uma pessoa com uma lanterna, disparou.

Os laudos do Instituto Geral de Perícias (IGP) confirmam que a vítima foi atingida por um único disparo, que entrou na altura do peito e saiu pelas costas.

Na reconstituição, segundo Zucco, a questão da luminosidade e outros aspectos do depoimento do PM serão confrontados. O inquérito ainda não foi concluído. O delegado aguarda a reconstituição para decidir sobre um possível indiciamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 + nove =