Pacientes do SUS de Novo Hamburgo, Estância Velha e Ivoti terão atendimento em radioterapia na Oncologia Centenário

Compartilhe:
Email this to someone
email
Share on Facebook
Facebook

Mudança do tratamento de Porto Alegre para São Leopoldo foi construída pelo secretário Naasom Luciano e o deputado federal Lucas Redecker desde o ano passado; serviço começa a ser prestado neste mês para uma média de 45 usuários/mês referenciados por Novo Hamburgo

Maio chega com uma excelente noticia para os pacientes oncológicos do Sistema Único de Saúde de Novo Hamburgo, Estância Velha e Ivoti. A Oncologia Centenário, que há mais de 18 anos é referência no atendimento de pacientes privados (convênios e particular) destas três cidades, a partir deste mês abre suas portas para o tratamento em  radioterapia aos usuários do SUS – são em média 45 por mês. “Mais uma vez mostramos na prática que a saúde é área fundamental em nossa gestão. Além de investimentos na melhoria da estrutura em Novo Hamburgo, sempre buscamos serviços e mecanismos que facilitem a vida de nossos pacientes”, destaca a prefeta Fátima Daudt. “Agora, eles não precisam mais ir até Porto Alegre, bem mais longe. O atendimento é ali no Hospital Centenário, em São Leopoldo”, acrescenta Fátima.
A prefeita enfatiza que a mudança de endereço de Porto Alegre para São Leopoldo é graças ao esforço do secretário de Saúde de Novo Hamburgo, Naasom Luciano, e do deputado federal Lucas Redecker. Atualmente. a Oncologia Centenário atende, mensalmente, 1.966 pacientes vindos de outros 18 municípios dos Vales do Sinos, Caí e Paranhana em radioterapia (145), quimioterapia (958) e  consultas médicas (863).
A ampliação do serviço para esses três municípios mostra que planejamento e ações bem estruturadas podem, sim, reduzir o sofrimento com encurtamento de distâncias. “Não poderíamos nos conformar com pacientes tendo de sair de Novo Hamburgo e das cidades vizinhas para fazer o tratamento em Porto Alegre, sabendo que perdem horas e horas do dia em deslocamentos e de espera para uma sessão de radioterapia que dura, no máximo, oito minutos, sem falar dos efeitos colaterais após a sessão”, destaca Naasom Luciano, que desde o ano passado, junto com o deputado Redecker realizou diversas reuniões com o diretor da Oncologia Centenário, Adalberto Broecker Neto, e com órgãos de Saúde para que o serviço de radioterapia fosse disponibilizado o mais próximo possível para os pacientes.
INVESTIMENTO – “Saúde é isso: investimento todos os dias, o tempo todo. Esta parceria com a Oncologia Centenário favorece a economicidade do dinheiro público, pela regionalização que está balizada na política do SUS, passando também pela integridade, dos nossos pacientes, com uma melhor qualidade de atendimento e conforto”, acrescenta o secretário. Conforme ele, pela Resolução nº 064/20, da Comissão Intergestores Bipartite/RS, ficou estabelecido o remanejo, a contar da competência abril (5ª parcela de 2020) do valor mensal de R$ 92.027,00 ao Fundo Municipal de Saúde de São Leopoldo para a prestação do serviço de radioterapia.
Naasom explica que a radioterapia na Oncologia Centenário se restringe a Novo Hamburgo, Estância Velha e Ivoti e que Campo Bom e Dois Irmãos seguem tendo Porto Alegre como referência neste serviço. Segundo ele, isso se dá porque a organização do acesso e dos atendimentos entre os estabelecimentos de prestação de serviços são definidos e regulados pelas respectivas Secretarias de Saúde. Ou seja, cada município possui autonomia de escolher onde os seus pacientes devem ser tratados. Quanto ao tratamento quimioterápico, o Hospital Regina  continua como referência para  Novo Hamburgo,  Ivoti, Dois Irmãos, Campo Bom e Estância Velha.
ATENDIMENTO – Com uma população assistida de  937.965.pessoas (somando os 21 municípios) e prestadora da rede Unacon (Unidade de Assistência de Alta Complexidade em Oncologia), a Oncologia Centenário é o único centro integrado da região na prestação de serviços de radioterapia e quimioterapia. Os pacientes, sejam eles do SUS, convênios ou particulares tem à disposição o que existe de mais moderno para o tratamento de diversos tipos de câncer. “Para nós, esta parceria é comemorável. Somos referência no tratamento do câncer e oferecemos um atendimento universalizado e humanizado. Aqui, todos utilizam os mesmos espaços e são atendidos por uma equipe altamente qualificada e treinada”, afirma o oncologista Adalberto Broecker Neto. E, segundo ele, os cuidados e atenção não se limitam ao paciente, mas também a seus familiares, igualmente fragilizados pela doença. Com capacidade para atender para atender 240 pacientes por dia,  a parte estrutural de 2,5 mil quadrados – são 22 espaços na ala de quimioterapia e 16 na ala de radioterapia, que abrigam consultórios, salas de exames clínicos, postos de atendimento simultâneo –  está bem dimensionada para o momento e para os próximos anos.
Da tecnologia de ponta ao social
Com uma equipe multidisciplinar de médicos oncologistas clínicos, radioterapeutas e físicas, a Oncologia Centenário acompanha todas as atualizações dos tratamentos radioterápicos e quimioterápicos para levar ao paciente o que há de mais moderno no combate ao câncer, mas principalmente técnicas com precisão e menos invasivas que preservem os órgãos não afetados pela doença e asseguram a qualidade de vida, ao mesmo tempo em que reduzem o tempo de tratamento. Para isso, a clínica investiu em equipamentos modernos de radioterapia guiada por imagem, como o Image Guided Radio Therapy (IGRT),Radiocirurgia e Arcoterapia Volumétrica Modulada (VMAT).
“Nos últimos anos, a evolução das técnicas mudou até mesmo a forma de as pessoas falarem sobre a doença, cujas chances de curabilidade aumentam cada vez mais”, afirma o oncologista Adalberto Broecker Neto, acrescentando que a doença era escondida, tinha-se medo até de pronunciar a palavra câncer, hoje visto como mais rotineira. “O prognóstico do infarto é pior, pois câncer tem cura , infarto não”, complementa.
Além de tratamentos com as modernas tecnologias, a Oncologia Centenário não deixa de investir em responsabilidade social. Diversas atividades são desenvolvidas todos os anos com o propósito de agregar e estimular os pacientes da clínica ou não, como Oficinas de Maquiagem e de Lenços, apresentação de balé e jazz,parcerias com a Liga Feminina de Combate ao Câncer de São Leopoldo e AMO Criança, de Novo Hamburgo. Além disso investe na formação de profissionais através do Centro de Treinamento de Técnicos de Radioterapia, Capacitação Enfermagem e no Jovem Aprendiz.
ATENDIMENTOS NA ONCOLOGIA CENTENÁRIO
SUS 2018
Quimioterapia
12.138 Sessões
877 Pacientes
5.326 Consultas
Radioterapia
11.815 Sessões
484 Pacientes
2.218 Consultas
SUS 2019 
Quimioterapia
13.518 Sessões
1.378 Pacientes
7.844 Consultas
Radioterapia
12.294 Sessões
497 Pacientes
2.179 Consultas
SUS 2020 (DADOS PARCIAIS)*
Quimioterapia
6168 Sessões
953 Pacientes
4018 Consultas
Radioterapia
4093 Sessões
162 Pacientes
824 Consultas
* Dados até 30/04/2020
AGORA SÃO 21 MUNICÍPIOS ATENDIDOS PELO SUS NA ONCOLOGIA CENTENÁRIO
Barão
Brochier
Capela de Santana
Esteio
Estância Velha
Harmonia
Ivoti
Maratá
Montenegro
Novo Hamburgo
Pareci Novo
Portão
Salvador do Sul
São José do Hortêncio
São José do Sul
São Leopoldo
São Pedro da Serra
São Sebastião do Caí
Sapucaia do Sul
Tupandi
Tabaí
SAIBA MAIS
De acordo com dados de órgãos ligados à saúde, em média, 9,6 milhões de pessoas morrem de câncer todos os anos, mas estima-se que um terço desses casos são evitáveis. Ou seja, mais de 3 milhões de vidas poderiam ser salvas anualmente se fossem implementadas estratégias adequadas de prevenção, detecção precoce e tratamento.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × 5 =