Novo Hamburgo – Nor Boeno encaminha demandas da comunidade ao diretor-geral da Comusa

Compartilhe:
Email this to someone
email
Share on Facebook
Facebook

Parlamentar representou a Comissão de Meio Ambiente em encontro 

Nor levou solicitações da comunidade ao diretor da Comusa – Crédito: CMNH

Como combinado durante reunião dos integrantes da Comissão de Meio Ambiente (Comam) com o diretor-geral da Comusa, Antônio Bonato, na segunda-feira, 18, o vereador Nor Boeno (PTB) foi à avenida Octávio Oscar Bender, na Marisol, em Canudos, na tarde desta terça-feira, 19. O parlamentar solicitou ao titular da autarquia que a vala próxima à Estação de Tratamento de Esgoto (ETE) Morada dos Eucaliptos fosse canalizado.

O edil argumentou que, conforme relato da comunidade local, no final do dia e quando esquenta, o odor se torna  insuportável. “Isso é uma questão de saúde. Foi canalizado apenas uma parte”, salientou Nor Boeno. “Frequentemente recebo reclamações de moradores a respeito dessa situação”, complementou o vereador.

Além disso, o parlamentar questionou qual é o percentual do esgoto tratado antes de ser largado na vala. “Além da espuma que sai desse cano, o mau cheiro é notável”, apontou.

A fim de responder com exatidão os questionamentos, Bonato, diretor-geral há cerca de um mês, se comprometeu a  inteirar-se sobre o assunto e passar a informação completa e detalhada. “Quanto a questão da canalização, é preciso verificar se a responsabilidade é da Prefeitura ou da Comusa“, explicou Bonato. “A respeito do percentual tratado, verificarei  junto ao quadro de funcionários”, disse.

Intervenção em rede de água no bairro São Jorge 

Após, o vereador e o diretor-geral da Comusa dirigiram-se ao bairro São Jorge, especificamente na avenida Alcântara, onde parte da rede de água está dentro do terreno de moradores.

Conforme explicado pelo vereador, o receio da comunidade local é de que a tubulação rompa e danifique as residências. “Eu já estive aqui no início de março, conversando com a moradora Elecir Fátima da Silva. Na ocasião, ela, em nome de outros moradores, falou sobre o medo de quem reside no trecho ao dizer que, se a tubulação estourar, as casas desabam”, relembrou Nor Boeno.

Conforme o diretor-geral, Antônio Bonato, antes de fazer a intervenção para colocar a rede de água na calçada, é preciso saber se as casas estão regularizadas. “Se estiverem, incia-se uma outra etapa”, salientou Bonato, referindo-se à transferência da rede de água para a calçada.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

vinte − dezenove =