Novo Hamburgo – Comusa completa primeiro ano como signatária do Pacto Global da ONU

Compartilhe:
Email this to someone
email
Share on Facebook
Facebook

Autarquia apresentou medidas de sustentabilidade adotadas até o momento  

Comusa é a única autarquia de saneamento signatária da região Sul – Crédito: Divulgação

Um ano após se tornar signatária do Pacto Global da ONU, a Comusa – Serviços de Água e Esgoto de Novo Hamburgo, reafirmou seu compromisso com as medidas de sustentabilidade propostas pela entidade com projetos e mudanças em setores que abrangem desde os cuidados com o meio ambiente como transparência e direitos dos trabalhadores. Além disso, em seu primeiro ano como única autarquia de saneamento signatária da região Sul, a Comusa ganhou destaque nacional com um de seus projetos de maior influência na comunidade, o Guarde a Chuva – Cisternas nas escolas, que concorreu ao prêmio nacional da ONU Cases de Saneamento 2019, concorrendo com autarquias estaduais e empresas multinacionais. 

O diretor-geral da Comusa, Eduardo Antônio Bonato, destaca que implementar mais medidas que se alinhem com as políticas de sustentabilidade do Pacto Global é uma das metas para 2020. “Já tivemos inúmeras novas medidas em apenas um ano, abrindo espaço para servidores, preocupados com o impacto no meio ambiente e garantindo a segurança de todos durante a pandemia. Sabemos que temos potencial para avançar ainda mais em 2021.”

Pacto Global da ONU

Com mais de 13 mil participantes em quase 170 países, a iniciativa conta com cerca de 770 membros no Brasil, país que possui a terceira maior rede. Dentre os membros estão algumas das maiores empresas do mundo que passaram a adotar as práticas que agora serão implantadas na Comusa.  O Pacto Global possibilita a participação em programas locais e internacionais, dentre os quais os grupos temáticos que conduzem projetos nas áreas de Água, Alimentos e Agricultura, Anticorrupção, Direitos Humanos e Trabalho, Energia e Clima e Objetivos de Desenvolvimento Social (ODS).

Confira algumas das medidas adotadas pela Comusa:

Fim dos copos plásticos 

Entre as medidas colocadas em prática ao se tornar signatária, a autarquia, através de seu diretor-geral à época Márcio Lüders encerrou o envase e distribuição de copos descartáveis de plástico com água, produzido ao longo de anos. O objetivo era eliminar o impacto ambiental que, em 2018, havia sido de mais de 51,4 mil copos; em 2017, foram mais de 65,3 mil copos; e em 2016, mais de 79,2 mil. 

Processos 100% digitais 

A digitalização dos processos internos não apenas acaba com um problema de armazenamento físico, como melhora a transparência, agiliza os encaminhamentos e garante a segurança dos servidores durante a pandemia, já que exime do contato físico e permite que acessem direto do home office. A medida passou a funcionar no final de março e já soma mais de 600 processos digitais. A Comusa é o primeiro órgão público de Novo Hamburgo a ter seus processos 100% digitais.

Guarde a Chuva em 70 escolas 

Destaque nacional em 2019, o Guarde a Chuva teve, no ano passado, a entrega de 25 cisternas para escolas do Município, chegando a 70 escolas municipais com o programa. Além disso, foi levado a Porto Alegre e Gramado, em seminários sobre saneamento, servindo de exemplo para outras cidades da região. Além disso, integrou o Water Hub 2.0, um banco de dados mundial com iniciativas positivas de saneamento. Foi finalista em prêmio nacional da ONU. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

5 × 2 =