NOVO HAMBURGO – Câmara aprova seis moções e demonstra preocupação com novo avanço da Covid-19

Compartilhe:
Email this to someone
email
Share on Facebook
Facebook

Brasil ultrapassou mais de 265 mil mortes pela doença nesta semana  

Câmara de NH em sessão ordinária – Crédito: CMNH

A proliferação de variantes mais agressivas do novo coronavírus e a superlotação dos hospitais têm pautado a agenda política em todo o país. O agravamento das crises sanitária e econômica aumenta a preocupação da população, que vê o Brasil ultrapassando a marca de 265 mil mortes pela doença. Com atuação limitada pela Constituição, os vereadores de Novo Hamburgo encontram nas moções um instrumento para dar coro a algumas das reivindicações e sensibilizar outras instâncias de governo para demandas dos cidadãos. Apenas nesta segunda-feira, 8, seis textos foram aprovados, todos relacionados à pandemia. 

Exemplos 

Duas das moções são direcionadas ao Ministério da Saúde. Os vereadores Cristiano Coller (PTB), Darlan Oliveira (PDT), Enio Brizola (PT) e Felipe Kuhn Braun (PP) elaboraram documento pedindo a inclusão dos professores no grupo prioritário de imunização contra a Covid-19. “A volta às aulas é de extrema importância para a aprendizagem e para os pais que, neste momento de pandemia, encontram-se em dificuldade para conciliar o trabalho e os cuidados com os filhos em casa em tempo integral. As escolas são insubstituíveis e os professores estarão na linha de frente. Por isso, merecem ser imunizados contra o coronavírus”, defendem os parlamentares. Na votação da matéria, Ricardo Ritter – Ica (PSDB), como membro da Comissão de Educação, e Fernando Lourenço (PDT), pediram aos autores para assinarem juntos a proposição.  

Darlan Oliveira também apresentou moção pleiteando a vacinação antecipada para os profissionais que atuam em farmácias. O pedetista sustenta a medida em razão da relevância dos estabelecimentos e da alta rotatividade de clientes. “É de extrema importância a vacinação de todos os funcionários, evitando o contágio e transmissão do vírus para as demais pessoas”, argumenta o autor.   

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *