MUNDO – Regiões na Europa voltam a adotar lockdowns parciais por segunda onda da covid-19

Compartilhe:
Email this to someone
email
Share on Facebook
Facebook

Cerca de 12 regiões europeias já adotaram novamente medidas restritivas  

Com o avanço da segunda onda da covid-19 na Europa, cerca de 12 regiões europeias já adotaram certas medidas restritivas para tentar frear o avanço da epidemia pelo continente. Entre eles, há países que escolheram formas mais brandas de um lockdown, enquanto outros apostam em toques de recolher mais descentralizados. 

Na última segunda-feira (2), a Alemanha adotou oficialmente um lockdown parcial de um mês para tentar mitigar os efeitos da segunda onda da covid-19 no país. Diferentemente do primeiro lockdown, que vigorou entre março e abril e paralisou a economia alemã como um todo, as medidas estão mais concentradas nos estabelecimentos de entretenimento desta vez. Espaços de lazer e restaurantes estão fechados, eventos de entretenimento proibidos e festas devem ser restringidas. Reuniões externas só serão permitidas para, no máximo, membros de duas casas diferentes e, no máximo, 10 pessoas. 

Na França, presidente Macron anunciou lockdown parcial – Crédito: Reuters

Já o presidente da França, Emmanuel Macron, decretou na última quarta-feira (28) um lockdown parcial em todo o território nacional. Segundo o presidente, o novo bloqueio deve durar pelo menos até 1º de dezembro. Escolas continuarão abertas e funcionando, enquanto comércios não essenciais permanecerão fechados. Fronteiras com países da União Europeia seguirão abertas. Estabelecimentos públicos, como restaurantes e bares, estão fechados. Macron disse que o trabalho poderá continuar, mas à distância quando possível. 

Enquanto isso, a Espanha adotou um toque de recolher entre às 23h e às 6h. Os líderes regionais da Espanha podem modificar os horários de início e término do toque de recolher em seu território em uma hora. As medidas começaram no dia 25 de outubro e são válidas, inicialmente, por apenas 15 dias. Mas o primeiro-ministro Pedro Sánchez disse que pedirá ao parlamento que as prorrogue por seis meses, caso necessário.

Reino Unido e Itália  

No último sábado (31), o primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, anunciou as novas medidas de lockdown para o Reino Unido. Diferentemente da primeira onda da covid-19, as restrições são um pouco mais brandas desta vez. As novas regras de confinamento valem até dia 2 de dezembro. Também no último sábado, o Reino Unido se tornou o nono país a ultrapassar a marca de 1 milhão de casos de covid-19. A região tem o maior número de óbitos de toda a Europa, cerca de 46 mil. 

Já o governo italiano anunciou que as novas medidas restritivas do país devem durar até 24 de novembro. A Itália, um dos países mais afetados na primeira onda da doença na Europa, vai adotar um lockdown mais brando do que antes. O governo ainda recomenda que as pessoas evitem utilizar os transportes públicos ou privados, exceto para trabalhar, estudar, por motivos de saúde e para assuntos urgentes. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

cinco × 5 =