Ministério da Educação adia o Enem 2020

Compartilhe:
Email this to someone
email
Share on Facebook
Facebook

As datas serão adiadas de 30 a 60 dias por conta da pandemia do novo coronavírus 

Enem 2020 será adiado em, no mínimo, 30 dias – Crédito: Divulgação

O Ministério da Educação (MEC) anunciou em comunicado oficial nesta quarta-feira (20), que vai adiar o Exame Nacional do Ensino Médio, o Enem 2020, por conta da pandemia do novo coronavírus. Segundo nota publicada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão que aplica as provas, o exame será adiado de 30 a 60 dias. O instituto ainda não confirmou uma nova data.  

As inscrições, no entanto, não foram prorrogadas e se encerram às 23h59 desta sexta-feira (22). O exame, que é a principal porta de entrada dos brasileiros para o ensino superior público, estava marcado para 1º e 8 de novembro, em versão impressa, e 22 e 29 de novembro, versão digital. 

“Atento às demandas da sociedade e às manifestações do Poder Legislativo em função do impacto da pandemia do coronavírus no Enem 2020, o Inep e o MEC decidiram pelo adiamento da aplicação dos exames nas versões impressa e digital. As datas serão adiadas de 30 a 60 dias em relação ao que foi previsto nos editais”. 

Aprovação no Senado 

O anúncio ocorreu um dia depois de o Senado aprovar um projeto de lei que adia processos seletivos como o Enem enquanto durar o estado de calamidade decretado por conta da pandemia, por 75 votos a favor e um contra, do senador Flávio Bolsonaro (sem partido). O texto foi encaminhado para a Câmara dos Deputados, que pautou a votação para esta tarde. 

Segundo especialistas em educação, com a decisão de adiar a prova, o MEC deve chegar a um acordo com as faculdades e redes de ensino em todo o país para, se necessário, adaptar o começo do ano letivo nas faculdades em 2021. 

Em todo o mundo, países atrasaram exames nacionais similares ao Enem. Levantamento do Instituto Unibanco mapeou 19 países com provas parecidas com a brasileira e mostrou que só cinco decidiram por manter o cronograma estabelecido antes da pandemia.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × um =