Gaúchos deverão gastar R$ 5,9 milhões em presentes para o Natal

Compartilhe:
Email this to someone
email
Share on Facebook
Facebook

A maioria dos gaúchos (52%) pretende presentear cinco ou mais pessoas no próximo Natal. Esse é um dos resultados de levantamento divulgado nesta quinta-feira (11), pela Associação Gaúcha para Desenvolvimento do Varejo (AGV), sendo que cada presente deve custar, em média, R$ 100,00. Conforme o presidente da entidade, Vilson Noer, o valor a ser destinado pela maioria dos gaúchos é expressivo para o setor, pois deve movimentar cerca de R$ 5,9 milhões e contribui para um crescimento de 6,8 a 7,2% sobre as vendas do ano passado.
Apesar da preferência por um número maior de presentes, 20% dos consumidores do Estado pretendem presentear quatro pessoas e 13%, três. Entre aqueles que vão receber os mimos estão os familiares (43%) e os filhos (34%). Roupas (74%), brinquedos (36%), perfumes e cosméticos (25%) devem ser os itens mais procurados para presentear os entes queridos. Da mesma forma, 58% dos entrevistados querem ganhar roupas, 29% perfumes ou cosméticos e 26% calçados, bolsas ou cintos. No que se refere à forma de pagamento dos produtos, 49% dos consumidores pretendem comprar à vista. O cartão de crédito é recorrido por 44% e os cartões de lojas por 5% dos participantes.
Conforme Noer, o comércio deve ter maior movimentação entre os dias 15 a 24 de dezembro, pois 50% dos participantes do levantamento afirmaram que farão as compras até esse período. Segundo o dirigente, tradicionalmente os lojistas registram as compras daqueles que deixam para a última hora representando 70% dos negócios para a data. “Comerciantes atentos ao comportamento dos consumidores se preocupam com aqueles que, por demanda de trabalho ou por esquecimento, lotam as lojas nos últimos dias”, comenta.
Cerca de 45% dos participantes da pesquisa realizada pela AGV costuma montar o pinheirinho e organizar os demais itens até o dia 15 de dezembro. Entretanto, 37% responderam que já estão com os lares caracterizados desde o final de novembro. Aqueles que não têm o hábito de decorar a casa neste período do ano somam 17%. A maioria (85%) dos participantes do levantamento passa o Natal na companhia de familiares e parentes. Além desses, 14% comemoram também com vizinhos e amigos. A celebração é feita por 80% na cidade onde vivem, por 13% no interior do Estado e por 7% no litoral.
Já o velho hábito de realizar amigo secreto no Natal está perdendo força entre as famílias do Rio Grande do Sul. Cerca de 50% dos entrevistados afirmaram que não realizam troca de presentes dessa forma. Mas, 42% dos participantes têm o costume de fazer a ação todos os anos e 7% destes disseram que o farão neste ano.
No que se refere à figura do Papai Noel, cinco anos é a idade máxima para grande parte das crianças gaúchas acreditarem nele. Essa foi a resposta de 48% dos entrevistados. Para 37% dos participantes, essa convicção é prolongada e vai até os oito anos. Aqueles que dizem que não estimular tal crença totalizam 5%. Entretanto, apenas 25% das famílias têm o hábito de chamar o bom velhinho para fazer a entrega dos presentes na noite do Natal. A maioria (75%) dispensa tal atitude.

Fonte: Uffizi – Consultoria em Comunicação

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 − 17 =