ESTÂNCIA VELHA – Vacinação começa em ato histórico no Centro Covid

Compartilhe:
Email this to someone
email
Share on Facebook
Facebook

Nesta primeira leva, são 191 doses para o município 

Na tarde desta quarta-feira (20), Estância Velha começou a campanha de vacinação da população contra a Covid-19. O ato simbólico aconteceu no Centro Covid, às três da tarde. Três profissionais da Secretaria de Saúde foram os escolhidos para este momento: a técnica em enfermagem Maria Marina Laux Robinson, a enfermeira Yasmin Costa de Souza e o médico Ricardo Siegle

A solenidade iniciou com a manifestação do prefeito Diego Francisco, que destacou o empenho da administração, em especial da Secretaria de Saúde e da Vigilância em Saúde, até se chegar a este momento tão importante. O chefe do Executivo comunicou que Estância Velha foi contemplada com 191 doses neste primeiro momento. “Esse número era menor, mas pedimos a revisão deste quantitativo à Coordenadoria de Saúde e conseguimos aumentar em 35% o número de vacinas destinadas à cidade”, explicou.

Yasmin foi uma das vacinadas – Crédito: Isaías Rheinheimer/PMEV

Erro de cálculo 

Conforme o prefeito, houve um erro no cálculo por parte do Estado, que não levou em conta que o município tem um hospital que atende pacientes com Covid, nem observou o trabalho que é feito pela Rede Básica de Saúde. Diego Francisco soube, no começo da madrugada de quarta-feira, a quantidade de doses que estavam previstas para Estância Velha e, desde então, começou a trabalhar em busca de uma resposta. 

Na manhã de quarta-feira, antes de ir até a “rede frio” do Estado retirar as vacinas, o prefeito teve uma audiência com Ane Beatriz Nantal, coordenadora regional de Saúde, quando teve a oportunidade de apresentar, novamente, o número de profissionais que atuam na saúde e de idosos institucionalizados. Foi esse movimento que permitiu a revisão do quantitativo. “É pouco, mas representa muito, pois é o início do fim de uma luta que iniciou no ano passado”, ponderou Diego.

Além do prefeito, a secretária de Saúde, Cláudia Pires, também falou e valorizou o trabalho dos profissionais da saúde. “Foram longos meses de espera por esse momento, muitas horas de trabalho e muita dedicação dos profissionais. Hoje (quarta), estamos dando o pontapé inicial para a imunização em Estância Velha”, disse. A secretária alertou, contudo, que a chegada da vacina não significa que não precisamos mais mantermos os cuidados. “Ainda devemos seguir os protocolos até conseguirmos imunizar toda população”, pontuou.

Os primeiros vacinados  

A técnica em enfermagem Maria Marina Laux Robinson tem 65 anos e há 25 anos trabalha no Hospital Municipal Getúlio Vargas. Ela iniciou sua trajetória no hospital trabalhando no Centro Cirúrgico e na Obstetrícia. Atualmente, é uma das profissionais que acompanha pacientes que precisam ser transferidos de ambulância para outros hospitais, tanto para internações, quanto para exames. 

Ela foi a escolhida pela administração para representar a categoria de técnicos em enfermagem. Estância Velha perdeu duas profissionais desta categoria por complicações da Covid-19. Uma delas foi Stefania Dapper, 38 anos, que era transplantada de rins, e faleceu no dia 19 de agosto de 2020. Ela atuava no Hospital Municipal Getúlio Vargas. A outra foi Leila Cristina Kafer, de 39 anos, que faleceu no dia 27 de setembro. Leila trabalhava no Hospital Municipal Getúlio Vargas e no Hospital São José, em Ivoti.

“Estou emocionada. O que passa na minha cabeça, neste momento, são todos os momentos de medo que passei, junto com meus colegas, desde o início da pandemia. Mas, agora, a sensação é de alívio. Estou agradecida pela oportunidade, mas também estou em luto pelas pessoas que morreram por causa desta doença, especialmente pelo falecimento de duas colegas, com quem eu tinha muita proximidade”, declarou.

A enfermeira Yasmin Costa de Souza tem 25 anos e há dois anos trabalha no Hospital Municipal Getúlio Vargas. Antes foi secretária no posto de saúde do Centro. Quando iniciou sua carreira na Enfermagem, Yasmin passou a atuar na emergência do hospital estanciense, contudo, desde junho do ano passado, ela está trabalhando na linha de frente, no Centro Covid. “Esse momento me enche de esperança. É um sinal de que as coisas irão melhorar. Meu sentimento é de gratidão, por representar minha classe, que está sendo muito importante durante toda a pandemia”, disse.

O médico Ricardo Siegle tem 50 anos, é infectologista e atual diretor técnico do Hospital Municipal Getúlio Vargas. É profissional do quadro de servidores de Estância Velha há 19 anos. “Em primeiro lugar, me sinto muito honrado em poder ser o primeiro de muitos, em Estância Velha, que se vacinarão contra o vírus causador dessa pandemia. E como infectologista, trabalhando na linha de frente, em contato diário com pacientes sofrendo com a doença causada pelo Covid-19, vejo na vacinação a possibilidade de mudança nessa história triste de perdas, sofrimento, isolamento e medo. Quero deixar claro que confio na vacina, já que teve a aprovação da Anvisa, após analisar os estudos realizados com a mesma e estimular a todos que na sua vez se vacinem e assim poderemos novamente retomar a normalidade das nossas vidas em sociedade”, declarou.

A primeira idosa vacinada em Estância tem 98 anos 

Elvira Finkler, 98 anos, foi a primeira idosa a tomar a vacina contra a Covid-19 no município. Ela é uma das 74 pessoas idosas que estão em lares, em Estância Velha. Muito emocionada, a idosa, que fará 99 anos no mês que vem, disse que a agradece muito por essa vacina. “Agora vamos poder abraçar as pessoas, receber visitas e logo mais tirar a máscara”, frisa.

O filho de dona Elvira, Alexandre Alfredo Finkler, 68 anos, destaca que para ele é uma alegria imensa ver sua mãe ser a primeira idosa vacinada no município. “Faço tudo que é vacina, me imunizo contra tudo que é possível. Assim que chegar a minha vez, vou fazer também, fico muito honrado por este gesto”, enfatiza. 

Alexandre observa que sua mãe é filha de João Carlos Petry e Irene Carolina Petry, e nora da primeira parteira do município, Carolina Finkler, que fez o parto de, praticamente, 90% dos lendários moradores em Estância Velha. A casa de Carolina foi o local onde se instalou o primeiro hospital de Estância Velha. 

Elvira nasceu em Viamão, mas desde muito jovem mora em Estância Velha, no bairro Lira. Antes de se aposentar, ela trabalhou como servente em creches da cidade. 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *