ESTADO – Issur volta a pedir ao governo revisão das restrições para setor de eventos, bares e restaurantes

Compartilhe:
Email this to someone
email
Share on Facebook
Facebook

Deputado estadual participou de nova reunião com o governador Eduardo Leite  

Issur esteve em reunião com o Governador Eduardo Leite – Crédito: Divulgação

O deputado estadual Issur Koch (PP) participou de reunião com o governador Eduardo Leite, nesta segunda-feira (7), no Palácio Piratini, ao lado de outros deputados estaduais e empresários, para discutir demandas do setor de eventos no Estado. No encontro, o parlamentar, que já havia se reunido na última semana com Leite para tratar do tema, pediu sensibilidade ao governador em relação às novas restrições determinadas pelo Comitê de Crise – que se encerram dia 14 – para conter o contágio de coronavírus.

“Peço que o governo tenha um novo olhar para não punirmos a classe artística e aqueles que precisam trabalhar. Toda profissão que coloca comida na mesa é digna e precisa ser respeitada. Para cada artista que está no palco, existem outros dez profissionais dando suporte”, enfatizou. 

O parlamentar disse também que era difícil explicar para as pessoas as novas restrições de horário para o comércio quando acabamos de sair de um processo eleitoral. “Parece que depois da eleição é que se retomou as restrições. Tenho defendido que é preciso ampliar o horário do comércio, e não restringi-lo, pois as pessoas não vão deixar de fazer suas compras, especialmente no final do ano”, destacou.

Protocolos 

Leite disse que a partir de 15 de dezembro poderão ser estabelecidos novos protocolos para que eventos e encontros, mesmo bares e restaurantes, possam ter algum grau de relaxamento, afirmou o governador.

Entre os protocolos apresentados pelos empresários de eventos está a testagem em massa das pessoas antes de entrarem nas festas, além de redução do público e outras medidas sanitárias de prevenção.

Após ouvir todas as demandas e sugestões, o governador, afirmou que as questões serão levadas ao Gabinete de Crise para discutir a viabilidade das medidas.

“Podem ter certeza que teremos uma análise célere para que, antes de acabar o prazo dos 14 dias do último decreto, em respeito às demandas trazidas aqui e para que possam ter o máximo de previsibilidade”, concluiu Leite.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *