Eduardo Leite pede ajuda econômica imediata a Jair Bolsonaro

Compartilhe:
Email this to someone
email
Share on Facebook
Facebook

Governadores das regiões Sul e Sudeste assinaram carta conjunta endereçada ao Presidente da República

Governador se reuniu, via videoconferência, com demais governantes dos estados do Sul e Sudeste – Crédito: Felipe Dalla Valle/Palácio Piratini

Listando uma série de pedidos de ajuda financeira, o governador Eduardo Leite e os demais governadores do Sul e Sudeste enviaram, nesta quinta-feira (2), uma carta ao presidente da República Jair Bolsonaro. O texto é resultado da reunião realizada no início da manhã de quinta-feira entre os governadores, por videoconferência, em que cada gestor detalhou o cenário econômico em seu Estado.

Entre as demandas, está o pedido para que o governo federal repasse dinheiro aos Estados para compensar as perdas de arrecadação com ICMS. Os governadores também querem que a União assuma as dívidas dos Estados com organismos internacionais.

Durante transmissão ao vivo em rede social, Leite demonstrou insatisfação com as medidas adotadas até aqui pelo governo federal e falou duas vezes sobre a possibilidade de colapso na economia e nos serviços públicos do Estado. “Em todos os países do mundo estamos vendo os governos centrais tomando providências para dar liquidez e injetar dinheiro na economia, seja nos governos estaduais e municipais que serão demandados. É importante contarmos com o governo federal. Temos tido boa interlocução, mas ainda não tem medida econômica relevante, de impacto para o Estado. O Estado não está atendido até aqui nas suas demandas e nos deixa muito preocupados em relação à possibilidade de colapso de serviços públicos e da economia”, disse Leite.

Impacto

Em trecho da carta liberado à imprensa, os governadores falam dos impactos que a pandemia está causando. “Os impactos econômicos e sociais da crise sanitária demandam ações efetivas e urgentes para prover rendimentos para todos os afetados, sejam indivíduos ou empresas”, diz a carta.

O texto final conta com as assinaturas dos governadores João Doria (São Paulo), Wilson Witzel (Rio de Janeiro), Romeu Zema (Minas Gerais), Renato Casagrande (Espírito Santo), Ratinho Júnior (Paraná) e Carlos Moisés da Silva (Santa Catarina).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 + seis =