Eduardo Leite assina primeiras parcerias do Pró-Social para ajudar populações vulneráveis

Compartilhe:
Email this to someone
email
Share on Facebook
Facebook

Expectativa é de beneficiar mais de 87 mil pessoas em todo o Estado como medida de enfrentamento à Covid-19  

“Espero que outras empresas sigam o exemplo de vocês e nos ajudem a transformar a vida de milhares de gaúchos”, afirmou Leite – Crédito: Felipe Dalla Valle/Palácio Piratini

O governo do Estado assinou, nesta terça-feira (9), as duas primeiras parcerias com empresas para financiar projetos sociais definidos pelo Plano de Contingência da Secretaria de Trabalho e Assistência Social (Stas) ao enfrentamento da Covid-19. 

Com a participação do governador Eduardo Leite e da secretária Regina Becker, o ato realizado no Centro Administrativo Fernando Ferrari (Caff) contou com a presença do presidente do grupo Randon, Daniel Raul Randon, e da presidente do Instituto Elisabetha Randon, Maurien Helena Randon Barbosa, e, por videoconferência, do diretor da PlasbilOdil Leo Bianchini. 

“Quem empreende, mesmo diante de tantas dificuldades, quem tem responsabilidade com seus colaboradores e ainda tem visão de responsabilidade social e corporativa para com as demais pessoas à sua volta merece nosso respeito, admiração e gratidão. Espero que outras empresas sigam o exemplo de vocês e nos ajudem a transformar a vida de milhares de gaúchos”, afirmou o governador. 

Os recursos, no valor de R$ 500 mil do Grupo Randon e R$ 200 mil da Plasbil, constituem os primeiros aportes ao Fundo Estadual de Apoio à Inclusão Produtiva (Feaip) e serão direcionados para o atendimento de pessoas em situação de rua em diversos municípios do Rio Grande do Sul, como Porto Alegre e Caxias do Sul, que têm a maior população nessa situação no Estado. 

Plano de Contingência  

O plano de contingência da Stas tem o objetivo de destinar R$ 8 milhões, 100% incentivados por renúncia fiscal de ICMS, conforme o Programa Pró-Social, e está dividido em três eixos: Segurança Social, destinado à população em situação de rua (R$ 3,5 milhões); Segurança Alimentar, para a agricultura familiar e economia solidária com cestas básicas (R$ 1,5 milhão); e Segurança Econômica, com geração de trabalho, emprego e renda (R$ 3 milhões). A expectativa é de beneficiar mais de 87 mil pessoas em todo o Estado. 

“Hoje marcamos apenas o início do nosso trabalho. Já temos mais empresas interessadas e confiamos na participação de muitas outras, porque estamos comprometidos em desenvolver um programa que possa atender a população gaúcha que se encontra em situação de vulnerabilidade social”, ressaltou Regina Becker.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

13 − 10 =