COLUNA – Ainda não é a hora de pensar em futebol!

Compartilhe:
Email this to someone
email
Share on Facebook
Facebook

É até repetitivo abordar este assunto aqui no espaço. Fico realmente chateado em bater na mesma tecla, pela terceira ou quarta vez. Porém, é preciso ratificar. E farei isso em letras maiúsculas: NÃO É HORA DE PENSAR EM RETORNO DO FUTEBOL! 

Fico intrigado com as pessoas que pensam que a pandemia de Covid-19 está cessando neste país. Dia após dia, o Brasil quebra recordes de mortes. Sistema de saúde prestes a colapsar. Leitos em falta. Tudo à beira do caos. E há quem ache que é a hora de diminuir os cuidados. Não, está longe desta hora! 

Falo aqui não somente como um apaixonado. Mas também como um profissional que depende também do futebol para seu sustento. Sem as partidas, tenho considerável redução em meus vencimentos. A emissora em que atuo, idem. Poderia aqui fazer um texto enorme falando que precisamos recomeçar. Porém, sigo firme em meu pensamento: antes a dificuldade financeira que a dificuldade de saúde. 

Jogo de futebol envolve uma grande quantidade de pessoas. Mesmo que não tenha torcida. Para quem não sabe, alguns dados: são inúmeros profissionais de segurança; de organização; de manutenção; de auxílio. Além dos jogadores: comissões técnicas, gandulas, auxiliares… Na imprensa, cada emissora leva, no mínimo, sete, oito profissionais. A minha, não vai ao estádio com menos de sete pessoas. E somos uma das que leva menos gente. Agora vamos ao simplificado: todos ali não vivem em redomas de vidro. O isolamento social existe?  Obviamente. Mas todos circulam pelas ruas para ir ao local. A imprensa é atividade essencial e muitos estão às ruas. ‘Façam os jogos sem a imprensa, então”. Ok, reduz a quantidade. Mas e as demais funções? Se exclui também? 

Vamos ter um pouco de entendimento da situação. Em dois dias, Flamengo e Grêmio anunciaram que funcionários e atletas estão com covid-19. E é somente a ponta do iceberg. Neste momento, temos que nos preocupar em viver. E o futebol precisa esperar. Isso tudo vai passar. Mas depende também da nossa compreensão. 

Obrigado, mãe!  

O dia das mães será celebrado no próximo domingo. E meu amor pelo futebol também possui influência da minha mãe. A “dona” Margarida é colorada quase fanática. Vibrou muito com as vitórias dos anos 70. Vê todos os jogos. Se irrita, comemora, se diverte. Também é apaixonada pelo São Paulo, que aprendeu a gostar nos tempos de Raí e companhia. Assiste os jogos comigo, sempre que estamos juntos. Me manda mensagens, acompanha meu trabalho. Está sempre atenta ao futebol. Neste dia das mães, não assistiremos o jogo das 16h com o churrasco na mesa. Mas estaremos juntos. Minha principal força para a carreira e para vida, ao lado da minha filha. Desde já, parabéns pelo teu dia, mãe! Te amo! 

Nico Lopez de volta?  

Nico Lopez está insatisfeito no Tigres, do México. Alguns colorados gostariam do retorno do uruguaio. Paolo Guerrero deixou comentário nas redes sociais afirmando que gostaria de contar com o atacante novamente no elenco. Mas… valeria à pena? Será que Nico mostraria algo a mais do que mostrou na passagem encerrada em dezembro de 2019? Acho difícil. Eduardo Coudet é um excelente técnico, mas conseguiria “sugar” mais futebol do que já vimos em tantas oportunidades? Confesso que não é uma contratação que faria, se gestor fosse. Como não sou, fico na observação… 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

catorze − 13 =