Campo Bom – Hospital Lauro Reus lança projeto piloto de equoterapia

Compartilhe:
Email this to someone
email
Share on Facebook
Facebook

Terapia objetiva potencializar as habilidades físicas e mentais dos pacientes em tratamento

Pacientes aproveitaram a presença da égua Ofélia – Crédito: Eder Zaculotto/PMCB.

Dócil, carinhosa e pronta para fazer novos amigos. Assim a égua Ofélia chegou ao estacionamento do Hospital Lauro Reus na manhã da terça-feira, 24, trazendo alegria para os cerca de 10 pacientes, funcionários e visitantes que puderam interagir com ela. A ação fez parte do lançamento de um projeto piloto de equoterapia, terapia auxiliada por animais (cavalos), com o objetivo de potencializar as habilidades físicas e mentais dos pacientes em tratamento, reduzir suas limitações, promovendo benefícios físicos e psicológicos. O projeto é uma parceria entre o Hospital Lauro Reus e o Centro Hípico Manège Metzler, que fornecerá os animais para a terapia, que deve ocorrer uma vez por mês, bem como o profissional responsável pelo animal.

Internada no hospital há 12 dias, a paciente Iolanda dos Santos Bender, de 78 anos, só vê benéficos na ação. “Fiquei muito feliz em poder tocar na égua. Tínhamos experiência com cavalos no nosso sítio, mas não assim. Aqui é diferente, pois isso nos dá um novo ânimo”, definiu Iolanda emocionada.

Segundo o prefeito Luciano Orsi, a Prefeitura, por meio da Secretaria Municipal de Saúde, apoia e incentiva ações com instrumentos terapêuticos alternativos para fins de saúde, como meditação e Ioga, que fazem parte da rede básica de saúde. “Essas ações beneficiaram os pacientes, que tanto necessitam de atenção, carinho e cuidado, auxiliando na recuperação da saúde, autoestima e na alegria de todos envolvidos nas atividades”, destaca Orsi.

O contato com os animais pode ajudar no tratamento e na recuperação de diversos pacientes, de acordo com psicóloga do Hospital Lauro Reus, Fernanda Vanzella, que coordena o projeto. “Existem muitos estudos científicos que comprovam os benefícios desse trabalho com cavalos na recuperação de pacientes, em especial aqueles com depressão, que pode ser causada por longos períodos de internação. Isso ajuda principalmente na liberação de hormônios que são responsáveis por sentimentos como felicidade, amor, satisfação. Uma atividade como a montaria de um cavalo pode envolver entre 1 mil e 1,2 mil músculos do paciente. Essa troca de energia, entre os humanos e animais, é muito positiva para os pacientes”, disse. A psicóloga conta ainda que sugeriu a equoterapia devido a experiências anteriores que desenvolveu com crianças autistas. “O que queremos é oferecer um atendimento mais humanizado possível aos nossos pacientes, sempre imaginando como nos sentiríamos se estivéssemos na mesma posição deles”, define.

 

Terapia do amor

Inajara De Oliveira Abreu, responsável técnica do Lauro Reus, explica que a equoterapia faz parte da Terapia do Amor, um conjunto de terapias complementares que são utilizadas no hospital e que devem ser ampliadas ainda mais. “Temos, por exemplo, Hora do Conto para crianças e ainda um trabalho muito positivo de musicoterapia, coordenado também pela psicóloga Fernanda, inclusive utilizando a música com pacientes em coma. São atividades terapêuticas que levam o cuidado médico muito além dos exames e da medicação”, conta Inajara.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

11 + dezenove =