CAMPO BOM – CPI do Hospital define funções e encaminha andamento dos trabalhos

Compartilhe:
Email this to someone
email
Share on Facebook
Facebook

Vereador Jerri comandará os trabalhos e Adilson Tareco será o relator 

Reunião definiu próximos passos – Crédito: Cássios Schaab/CMCB

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que irá apurar os fatos ocorridos no Hospital Lauro Réus na sexta-feira, 19 de março, já tem definição das primeiras atividades que serão realizadas e também já foram escolhidos os cargos que os vereadores irão atuar durante a condução dos trabalhos.

Jerri de Moraes (MDB) será o presidente da CPI enquanto a relatoria estará sob a responsabilidade do vereador Adilson Tareco (PDT). Victor Souza (PCdoB) será o vice-presidente da comissão, a vereadora Professora Sandra Orth (PSDB) será a primeira secretária enquanto Jair Wingert (PP) será o segundo secretário. Os demais parlamentares também participarão da CPI como membros que acompanharão todos os desdobramentos dos trabalhos realizados pela comissão.

“A partir de agora, com essas definições, vamos iniciar os trabalhos, definir quem será interrogado e de que forma a comissão conduzirá o processo de investigação”, explica Jerri. “Sabemos que as investigações técnicas ficarão por conta dos órgãos competentes e se tiver necessidade, vamos solicitar as conclusões para embasar nosso trabalho, mas a comissão tem extrema importância, tendo em vista que o Poder Executivo despende recursos para o hospital e cabe aos vereadores a devida fiscalização da aplicação desses valores que pertencem a população”, complementa o presidente da CPI.

Nesta sexta, 26 de março, os membros da comissão voltam a se reunir para iniciar os trabalhos de forma efetiva e realizar os primeiros encaminhamentos.

O andamento dos trabalhos seguirá de forma sigilosa e, regimentalmente, a CPI tem prazo de 90 dias para ser finalizada, com possiblidade de prorrogação por mais 30 dias.

Entenda o caso 

Na manhã da última sexta-feira, 19 de março, problemas no sistema de abastecimento de oxigênio do Hospital Lauro Reus ocasionaram a falta do suprimento em diversos setores da casa de saúde e teriam sido um dos fatores que ocasionaram o óbito de seis pacientes que estavam internados em tratamento contra a covid-19. Conforme nota técnica divulgada pelo hospital, no período entre 08h10 e 08h40 da sexta-feira -26 pacientes estavam em ventilação mecânica na UTI e Emergência. Ainda segundo o informativo, não houve em momento algum falta de oxigênio aos pacientes, devido à rápida ação da equipe assistencial, que acionou imediatamente o Plano de Contingência – em decorrência de uma instabilidade na rede central de distribuição de oxigênio (O²) que durou aproximadamente 30 min.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *