Campo Bom – 2º Audiência Pública de habitação

Compartilhe:
Email this to someone
email
Share on Facebook
Facebook
Crédito: Divulgação.

Nesta quarta-feira (08), foi realizado a 2º Audiência Pública de Habitação. Os trabalhos foram conduzidos pelo presidente da Comissão Especial de Habitação e Loteamentos Populares, vereador Tiago Souza do Partido Comuista. Estavam presentes algumas lideranças, entre elas, o vice-prefeito Beto Santos, Secretário de Obra e Habitação do Rio Grande do Sul; José Stédile e representes; da Caixa Econômica Federal, Corsan, Correios, RGE Sul, Coorporativas Habitacionais e membros das associações de moradores, além dos vereadores, Victor, Jair Wingert e Joceli Fragoso.

Na ocasião foram debatidos diversos assuntos referentes a moradia no âmbito Municipal e as metas que foram alcançadas na primeira edição, em abril de 2017. De acordo com o vereador Tiago Souza, 96% das metas traçadas em 2017 foram atingidas e outras ações que não estavam listadas nas metas, mas foram destacadas. Durante o evento foi citado pela Topográfica do Executivo Municipal; Telma Aguiar, alguns dos loteamentos já regularizados, entre eles: Morada dos sonhos, Morar Melhor, Bem Viver III, Recanto da Paz, Renascer, Rio Branco, Vida Nova e o Parque Empresarial Campo Bom. No total foram regularizados 941 lotes no município. Na sua fala, o Secretário José Stédile destacou “as obras de habitação só acontecem se tiver interesse político, por isso é essa nossa meta é regular o máximo de áreas possíveis”.

Além disso, o vereador Tiago, ressaltou algumas demandas que chegaram até a Comissão de Habitação no ano de 2018 “problemas de infraestruturas de loteamentos recém regulares, ausência de água tratada, correspondências dos correios que não chegam até as residências, além das dificuldades que as áreas de ocupação tem em comprovar residência para participar de ações municipais.”

Os moradores presentes frisaram o avanço que a cidade teve na questão de moradias, e também trouxeram alguns problemas que enfrentam em relação aos juros do IPTU e com a falta de infraestruturas. Também fazia parte das expectativas do encontro, promover maior compreensão sobre a ordem de seleção das famílias que são contempladas pelas ofertas de serviços e pelo programa habitacional.

O objetivo da audiência foi promover o planejamento das ações do setor habitacional de forma a garantir moradia digna a comunidade.

 

Notícias Gerais – Katiele.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

dezoito + sete =