Senador diz que recebeu R$ 50 milhões como ‘gratidão’ por apoio a Pacheco

Marcos do Val contou ter sido beneficiado com valor maior do que o esperado após eleição de Rodrigo Pacheco à Presidência do Senado

O senador Marcos do Val (Podemos-ES) afirmou ter recebido R$ 50 milhões em emendas do orçamento secreto como forma de “gratidão” por ter apoiado a campanha de Rodrigo Pacheco (PSD-MG) à Presidência do Senado, em fevereiro de 2021. O parlamentar contou ter sido informado sobre o recurso depois do resultado pelo senador Davi Alcolumbre (União-AP), que articulou a campanha de Pacheco para ser seu sucessor.

Do Val afirmou que o critério de divisão das emendas do orçamento secreto foi informado pelo atual presidente do Senado. “O Rodrigo Pacheco virou e falou para mim assim: ‘Olha, Marcos, nós vamos fazer o seguinte: os líderes vão receber tanto, os líderes de bancada tanto, essa foi a nossa divisão’. E ele me passou isso porque eu fui um dos que ajudei ele (sic) a ser eleito presidente do Senado.

E aí eu falei: ‘Pô, legal, está transparente e tal’. Aí ele falou: ‘Olha, se a gente conseguir mais uma gordura, eu direciono para você’. Não foi uma coisa (do tipo): ‘Mas eu preciso que você me apoie’”.

A conversa teria acontecido quando Pacheco assumiu o cargo. “Ele chamou os quem eram os mais próximos, que apoiaram a campanha dele, os líderes, e aí ele tornou: ‘Olha, o meu critério vai ser esse’. E todo mundo concordou. Então, ficou uma coisa transparente, assim, (e) não: ‘Pô, quem será que ganhou mais?’”, disse o senador. Do Val contou que Pacheco não falou em valores “porque ele não sabia o que viria, o que o Executivo iria encaminhar, mas que era em proporcionalidade”.

“E, assim, de todo o coração, o Rodrigo para mim é um cara fora da curva, um cara corretíssimo, muito equilibrado. Vamos dizer assim, distensionou as cordas entre os Poderes.

Então, eu até perguntei para ele se ele pensa em se reeleger. Ele falou que está pensando. Eu falei: ‘Olha, então você vai ter um cabo eleitoral porque eu vou brigar para que você continue’. Então, muita gente que era contrária a ele, o Podemos, que era contrário, hoje a maioria fala: ‘Pô, você me surpreendeu’. E eu dizia para o Podemos: ‘Viu? Eu falei para vocês’”, relatou na entrevista.

De acordo com Do Val, o termo usado por Alcolumbre para justificar o valor recebido foi “gratidão”. “Gratidão, você resumiu. Gratidão, gratidão”, disse ao repórter do Estado de S. Paulo quando questionado.

O senador foi questionado, em seguida, se não se tratava de ação semelhante à compra de votos. “Olha, assim, no critério que ele tinha colocado, eu acho que eu ia receber… Era assim: a minha parte seria de R$ 10, 15, 20 [milhões], alguma coisa assim, entendeu?

Então, como ele me colocou, me deu essa gratidão, como você falou, eu recebi. E aí, pode ser que eu esteja enganado, vocês que levantam tudo, eu acho que eu recebi o mesmo que os líderes”, respondeu, completando ter sido beneficiado com “certeza” com base no apoio a Pacheco.

Marcos do Val encerra a entrevista afirmando que tem “de ver para correr atrás” para fazer indicação de emendas de relator neste ano, porque até o momento, não fez.

Marcos do Val diz ter sido ‘mal interpretado’
Depois da publicação da entrevista, Marcos do Val emitiu uma nota afirmando ter sido “mal interpretado”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

dezesseis − 2 =