Projeto quer tornar telemedicina permanente em Novo Hamburgo

Ex-presidente da Comissão de Saúde da Câmara, o vereador Ito Luciano (PTB) apresentou esta semana projeto de lei que autoriza a prática da telemedicina de forma permanente em Novo Hamburgo.

O Projeto de Lei nº 56/2022 define telemedicina como a transmissão segura de conteúdo audiovisual e de dados com informações médicas para a assistência, prevenção, diagnóstico, tratamento e acompanhamento de pacientes.

A proposta elenca algumas possíveis utilizações da modalidade, como atendimentos em locais de difícil acesso, consultas médicas à distância, troca de informações e opiniões entre profissionais, procedimento cirúrgico remoto, triagem, avaliação de sintomas e monitoramento de parâmetros de saúde e doença.

Embora preveja a possibilidade de o paciente decidir ou não pelo serviço, o PL autoriza a Prefeitura a instituir compulsoriamente a telemedicina em situações de emergência de saúde pública, como no caso da pandemia da Covid-19. Protocolado no último dia 27, o PL aguarda agora análise da Procuradoria-Geral da Câmara.

O parecer técnico deve subsidiar a discussão da Comissão de Constituição, Justiça e Redação (Cojur), primeiro passo da tramitação pelos colegiados temáticos da Câmara.

Benefícios da telemedicina

Em extensa e fundamentada justificativa, Ito Luciano defende a proposta como um complemento às atividades regulares do Sistema Único de Saúde (SUS) no município.

O parlamentar explica que a telemedicina pode acelerar o atendimento ao paciente sem prejudicar o serviço prestado. “A proposta apresentada não tem a finalidade de criar um ‘novo sistema’, e sim ampliar uma prática que já existe há anos e que é amplamente utilizada pela rede privada e pela própria rede pública em outras regiões do Brasil.

Essa tecnologia não substitui as decisões médicas, pois são médicos que realizam o diagnóstico, e não ‘uma máquina’, garantindo um atendimento humanizado e agilidade para a população”, sustenta.

Ao longo da defesa do projeto, o vereador destrincha ainda outros pontos favoráveis à adoção da prática. Confira alguns trechos da justificativa:

“O acompanhamento de doenças crônicas por telemonitoramento consegue proporcionar mais qualidade de vida para os pacientes e menor custo para o SUS.

A oferta do modo virtual aumentará, por definição, o acesso ao atendimento médico. Esse acesso é ainda mais fundamental para comunidades carentes, idosos, pessoas com dificuldade de locomoção e população carcerária. Antes mesmo do cenário pandêmico atual, o panorama local já carecia dessa atenção.

Não podemos retroceder.

Precisamos ir além e regulamentar de forma completa e permanente o atendimento por telemedicina, para que possamos inseri-lo efetivamente no dia a dia do Município.”

“A telemedicina tem o potencial de gerar economia de custos em saúde e facilitar a triagem prévia de casos, orientando o paciente a procurar, ou não, o centro de saúde correto para o atendimento a seu quadro especifico.”

“O acesso dos pacientes aos cuidados em saúde é, sem dúvida, o ganho mais evidente que a telemedicina pode proporcionar.

Levar para a população o atendimento especializado (em seus diferentes níveis e complexidades) é condição primordial para a incorporação de soluções em telessaúde.

Do ponto de vista social, a telemedicina tem o potencial de democratizar o acesso aos serviços de saúde, integrando regiões remotas a hospitais e centros de referência.”

“Hoje, os pacientes procuram as unidades de saúde como primeiro passo, levando à impossibilidade de previsão da demanda e sua distribuição municipal.

Para isso, uma agenda deve ser desenvolvida com o mais alto grau de descentralização, próxima da vida das pessoas.

Através de agenda virtual, as unidades de saúde se beneficiam, porque podem se programar para uma demanda referida.

Não se propõe neste projeto a criação e instalação de infraestrutura nova, equipamentos novos, desenvolvimento de aplicações novas, mas propomos a utilização do que já existe e está à disposição nos hospitais e unidades de saúde. Temos uma rede consolidada e estruturada para ofertar essa modalidade sem a necessidade de ampliar consideravelmente os custos.”

“A telemedicina cria a possibilidade de oferecer suporte técnico de especialistas a médicos com menos experiência ou de outras especialidades.

Ela também pode ser utilizada como ferramenta de treinamento para cuidadores e familiares de pessoas idosas ou acamadas.”

“A telemedicina surge como alternativa viável e imediata, permitindo o acesso de mais pacientes ao sistema de saúde, otimizando a utilização de mão de obra especializada, evitando desperdício de recursos, intensificando o acompanhamento remoto de pacientes e facilitando triagens prévias para evitar a superlotação do sistema.

A economia de escala em saúde traz não só a redução de custos, mas também uma excelência na qualidade da assistência.”

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

10 + sete =