Escola hamburguense é destaque internacional

EMEB Adolfina Diefenthäler é finalista do World’s Best School Prizes

Pela gestão democrática que aplica, a Escola Municipal de Educação Básica (EMEB) Profª Adolfina Diefenthäler, do bairro São José, em Novo Hamburgo, acaba de ser reconhecida como uma das melhores do mundo pelo World’s Best School Prizes. 

A escola da rede municipal de ensino está entre as 50 finalistas da premiação internacional mantida pela Fundação T4. No Brasil, a premiação tem a parceria da Fundação Lemann. A distinção busca identificar, reconhecer e celebrar práticas inovadoras e que tenham impacto real na vida dos estudantes e da comunidade. 

Pela classificação, a escola participará da Semana Mundial da Educação, que ocorrerá em outubro e reunirá escolas de todos os continentes. 

Além da hamburguense, outras duas escolas brasileiras conquistaram o reconhecimento, ambas de Pernambuco. As três instituições foram parabenizadas em rede nacional por Luciano Huck, no último domingo (12), durante o programa Domingão com Huck, da TV Globo.

“Temos convicção da qualidade da educação pública de Novo Hamburgo e, por isso, recebemos esta notícia com muita satisfação e orgulho”, comemora a secretária Municipal de Educação, Maristela Guasselli. 

Colaboração comunitária

A EMEB Profª Adolfina Diefenthäler está entre as dez melhores na categoria Colaboração da Comunidade, uma das cinco áreas destacadas pela premiação internacional, que busca reconhecer escolas que estimulam a participação de estudantes, professores, funcionários e famílias. 

Na escola hamburguense, os processos de decisão são coletivos, incluindo as questões financeiras, estruturais, de aprendizagem e de avaliação.

Anualmente, a EMEB promove uma assembleia com a participação de todos. Neste encontro, são debatidas as principais demandas. Estudantes, professores e comunidade têm a oportunidade de se manifestar e votar nos temas que consideram mais relevantes. 

O projeto pedagógico se chama #aprenderecompartilhar e tem sua base em três premissas: participação democrática, aprendizagem colaborativa e interação entre os pares. 

“Além de destacar nossa experiência a partir deste importante reconhecimento, queremos mostrar para todos que a escola pública tem qualidade e que os professores são comprometidos e qualificados”, destaca Andrea Zimmer, diretora da escola que atende 750 estudantes e conta com 40 professores.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

doze − cinco =