Fátima anuncia adequações para referenciar Hospital Municipal

Prefeita reiterou que casa de saúde deverá prestar atendimento oncológico no município

A prefeita de Novo Hamburgo, Fátima Daudt, reiterou o compromisso de retomar de forma definitiva o atendimento a pacientes com câncer em Novo Hamburgo referenciando o Hospital Municipal para o atendimento público em oncologia. 

Na segunda-feira (16), Fátima visitou as obras do Anexo 2 na casa de saúde e anunciou o início de estudos para adequações ao projeto e inclusão de uma ala oncológica no futuro prédio. “Queremos a oncologia e a pediatria 100% SUS em Novo Hamburgo. Estou focada nas soluções, não nos problemas.” 

O problema é o prazo para que isso ocorra. Segundo estimativa da Administração Municipal, a construção do Anexo 2 só estará concluída no prazo de até dois anos. 

A possibilidade de adequações já estava sendo analisada desde dezembro do ano passado, quando Novo Hamburgo deixou de ser referência em oncologia para pacientes de Campo Bom, Dois Irmãos, Estância Velha e Ivoti, e ganhou força com a decisão do Hospital Regina de deixar de atender a oncologia SUS para pacientes de Novo Hamburgo. 

Atualmente, os pacientes oncológicos de Novo Hamburgo estão sendo atendidos no Hospital Bom Jesus, em Taquara. 

“Não é possível ficar à mercê de decisões de instituições privadas quando estamos falando de atendimento SUS”, destacou Fátima. A prefeita acrescenta que as adequações poderão ser analisadas à medida que a obra avança. Outra prioridade será buscar recursos para os equipamentos. 

Em obras

O novo prédio terá cinco andares, a maior ampliação da história do Hospital Municipal. Segundo a Prefeitura, os recursos já estão garantidos, mas o início das obras foi adiado em razão da pandemia. 

Cada um dos cinco pavimentos do Anexo 2 terá aproximadamente mil metros quadrados, totalizando 5.158,23 m², com todos os ambientes de apoio necessários aos serviços, para conforto de pacientes, acompanhantes e profissionais. 

Além da ampliação de 82 leitos e implantação de serviços como endoscopia e centro de diagnóstico por imagem, a nova área contará com seis salas cirúrgicas, aumentando em 150% este tipo de ambiente. Em 2020, o investimento orçado era de R$ 17.681.038,78, valores que estão sendo ajustados.

“Chega de puxadinhos no Hospital Municipal. As ampliações agora são planejadas e devem seguir critérios técnicos”, enfatizou a prefeita. Ela acrescenta que o hospital se tornou um canteiro de obras, mas sem deixar de ser hospital, mantendo o atendimento a pleno. “É como se trocássemos o pneu de um carro em pleno movimento, sem poder parar”, exemplifica.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

catorze − 6 =