Componentes de calçados faturam mais de US$ 137 mi no quadrimestre

China importou 7% a menos, resultado provável do lockdown na portuária Xangai

O segmento de componentes para calçados segue com as exportações em alta. Números divulgados na quarta-feira (18) pela Associação Brasileira das Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos (Assintecal) mostram que no primeiro quadrimestre deste ano o faturamento com o comércio exterior foi de US$ 137,3 milhões, 17% mais do que no mesmo período do ano passado. 

Somente em abril, as exportações de componentes geraram US$ 37,2 milhões, incremento de 24% ante o mesmo mês de 2021. 

O principal destino dos embarques do setor no primeiro quadrimestre foi a Argentina, que ultrapassou a China. De janeiro a abril, o faturamento com embarques para o país vizinho foi de US$ 30,5 milhões, 62% mais do que no mesmo período do ano passado. 

“O setor calçadista argentino vem em plena recuperação desde 2021, quando cresceu mais de 90%, segundo fontes locais. Como a importação de componentes chineses ficou mais cara em função dos fretes, os fabricantes locais estão voltando os olhos para fornecedores brasileiros, que têm plena capacidade de atendimento dessa demanda”, avalia o gestor de Mercado Internacional da Assintecal, Luiz Ribas Júnior.

O segundo destino do quadrimestre foi a China, que importou o equivalente a US$ 27 milhões, 7% menos do que no mesmo período do ano passado. “Possivelmente, o dado já reflita os impactos das crescentes restrições sanitárias em função da pandemia de Covid-19, principalmente o lockdown em Xangai, principal cidade portuária chinesa”, comenta a liderança setorial.

Na terceira posição entre os destinos dos componentes e químicos para couro e calçados aparece Portugal. Nos quatro meses do ano, os portugueses importaram o equivalente a US$ 21,48 milhões, 55% mais do que no mesmo ínterim do ano passado. 

Origens

O maior exportador de componentes do quadrimestre foi o Rio Grande do Sul, que embarcou o equivalente a US$ 75,32 milhões, 10% mais do que no mesmo intervalo de 2021. No segundo posto aparece São Paulo, que somou US$ 13,7 milhões em exportações, dado 30% superior ao registro do período correspondente do ano passado. A terceira origem das exportações do setor no quadrimestre foi a Bahia, que embarcou o equivalente a US$ 12,5 milhões, 72% mais do que no mesmo período de 2021. 

Materiais

Por material, na lista dos mais exportados do quadrimestre aparecem os produtos químicos para couros, que somaram US$ 62,8 milhões, 1% mais do que no mesmo intervalo do ano passado. O segundo material mais exportado foram os cabedais, com US$ 39 milhões e incremento de 25% ante período correspondente do ano passado. 

No terceiro posto apareceram os produtos químicos para calçados (adesivos), com US$ 14,5 milhões e incremento de 24% ante 2021. Fechando o ranking de produtos mais exportados aparecem solados (US$ 9 milhões e aumento de 65%) e laminados sintéticos (US$ 5,2 milhões e aumento de 25%).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

13 − 11 =