Mobilização em favor do atendimento oncológico em Novo Hamburgo

Viabilizar Hospital Municipal como referência em atendimentos de câncer surge como alternativa  

Em mobilização em favor do atendimento de pacientes com câncer pelo Sistema Único de Saúde (SUS) em Novo Hamburgo, cerca de 250 pessoas lotaram a Câmara Municipal durante a sessão plenária da última quarta-feira (27) para discutir soluções para o impasse gerado após o encerramento do atendimento oncológico no Hospital Regina a quase mil pacientes de Novo Hamburgo e cidades vizinhas, que estão sendo atendidos no Hospital Bom Jesus de Taquara.

Nas discussões, surgiu a proposta de fazer do Hospital Municipal – que atende exclusivamente pelo SUS – uma unidade de saúde referência regional no atendimento de oncologia.

 “Ouvindo todas as partes, foi-nos dada uma luz. Temos um hospital 100% SUS, mas não é credenciado. Credenciar com urgência para SUS oncologia já devia ter sido feito se estava sendo visto esse problema”, anunciou Regina Dau, presidente da Liga Feminina de Combate ao Câncer de Novo Hamburgo, sobre a possibilidade dada à entidade em reunião com o Executivo. 

Nesse encontro, segundo ela, houve uma sinalização de uma futura ampliação do Hospital Municipal para se adequar às condições exigidas. Ela acredita que poderiam ser parceiros nessa obra a Feevale, que já oferece curso de Medicina, e empresários dispostos a ajudar.

A entidade foi convidada a ocupar a tribuna pela Comissão Especial de Acompanhamento da Referência Oncológica do SUS. 

“Desde a notícia dada pelo Hospital Regina, um dia antes de sair em toda a imprensa, fomos pegas de surpresa, vimos dali para diante nosso paciente chorar, nossos telefones com várias perguntas, as pessoas dizerem: ‘agora, sim, vamos morrer’. Nós estamos sofrendo juntos. Sim, a partir daquele momento, levantamos uma bandeira: não podemos nos conformar”, disse.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

3 + 12 =