Bolsonaro anuncia que governo irá rebaixar pandemia para endemia 

Portaria assinada pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, deve ficar pronta ainda este mês.

Brasília – O presidente Jair Bolsonaro (PL) afirmou nesta quarta-feira (16) que a portaria que prevê o rebaixamento da pandemia para endemia ficará pronta ainda este mês, assinada pelo ministro da Saúde, Marcelo Queiroga. A declaração ocorreu durante entrevista à TV Ponte Negra, afiliada do SBT no Rio Grande do Norte.

“O nosso ministro da Saúde, o Queiroga, tem se comportado muito bem nessa questão. Eu tenho conversado com ele. Ele já sinalizou, há poucos dias, que seria uma portaria dele, como definido em lei, para nós aqui sairmos da pandemia e entrarmos na endemia. Ou seja, isso deve acontecer até o final deste mês”, apontou.

O chefe do Executivo defendeu ainda que os cuidados contra a covid-19 “não se justificam mais”, pois, segundo ele, a pandemia “chegou ao fim”. Já a OMS defende que a pandemia está longe de acabar no mundo, apesar da diminuição de casos. Especialistas também garantem que a medida de alteração de status é precoce.

“Realmente, não se justifica mais todos esses cuidados no tocante ao vírus, porque todo mundo vê que praticamente acabou isso daí. Você vê no próprio carnaval, nas praias, que o povo abandonou praticamente máscaras e outros cuidados. Por quê? Porque praticamente chegou ao fim”, alegou.

Vacinação

Bolsonaro também elogiou o programa de vacinação de Queiroga e do ex-dirigente da Saúde, Eduardo Pazuello, e destacou que os imunizantes foram comprados com dinheiro do governo federal e não dos governadores.

“Um programa de vacinação muito bem feito pelo ministro Queiroga e pelo ministro Eduardo Pazuello, que o antecedeu. Ele começou as tratativas, as compras de vacinas lá atrás. O Brasil começou a vacinar desde o início de 2020. A vacina atingiu a todos os voluntários do Brasil e acreditamos que a questão do vírus da covid está controlada. Ou seja, grande parte da população imunizada com recursos do governo federal. Deixo bem claro que nenhum governador pagou ou comprou uma vacina sequer no Brasil”, destacou.

O presidente ainda relacionou a queda de casos da covid-19 no país à “imunidade de rebanho”. “Temos o que chama de imunidade de rebanho. Muita gente se contaminou e já está imunizada também. Ou seja, devemos, se Deus quiser, a partir do início do mês que vem, com a decisão do ministro da Saúde de colocar um fim na pandemia via portaria, voltar à normalidade no Brasil”.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

13 + dois =