Calçadistas trazem bons resultados de Milão

Marcas brasileiras somaram mais de US$ 25 milhões em negócios na Micam Milano.

Depois de dois anos, os calçadistas brasileiros retornaram presencialmente para a edição de inverno da Micam Milano, na Itália, colhendo bons resultados. As 37 marcas que participaram da 93ª edição da feira italiana, encerrada na última terça-feira (15), geraram cerca de US$ 25,8 milhões, entre negócios efetivados e alinhavados durante o evento.

Segundo a gestora do programa de incentivo às exportações Brazilian Footwear, Letícia Sperb Masselli, a participação brasileira em mais uma Micam “não pode ser mensurada apenas pelos pedidos e clientes”. “O resultado de imagem e valorização da marca é imensurável. Esse relacionamento e essa participação mostram que a empresa segue sólida e ativa no mercado”, diz Letícia, ao comentar que as 27 empresas que participaram representando 37 marcas conseguiram importantes resultados de negócios e novos contatos. Ao todo, as empresas brasileiras realizaram 698 contatos. Destes, 360 foram novos. 

Feira internacional

Com novidades, o evento teve, ao todo, 1,4 mil marcas e a presença de mais de 12 mil compradores. Entre as delegações internacionais, a brasileira foi a quinta em quantidade de expositores. “O Brasil é um país amigo com o qual trabalhamos e temos o prazer de hospedar a produção de calçados brasileiros na feira italiana”, disse o presidente da Micam Milano, Siro Badon, ao lembrar que a sustentabilidade esteve no centro do evento. 

Sustentabilidade

Neste ano, a Micam promoveu o espaço Green Zone, que apresentou produtos de 20 marcas sustentáveis dos principais mercados do mundo. Uma das empresas brasileiras selecionadas foi a Piccadilly. “Recebemos vários clientes que vieram nos visitar porque viram o produto. A visibilidade desta área foi muito boa”, conta o trader Raphael David, ao dizer que os resultados finais ficaram acima das expectativas iniciais. “Recebemos muitos clientes, alguns que já são nossos clientes e outros novos. Nos três dias, recebemos a visita de cerca de 40 países”, afirma.

Retorno

O gerente de exportações da Democrata, Anderson Melo, ressalta a importância de voltar às feiras presenciais. “Mostrar o produto fisicamente, os diferenciais deles, os materiais são muito importantes no setor calçadista. Recebemos clientes e também abrimos novos mercados”, destaca Melo, ao citar que a feira teve a presença de muitos compradores árabes, do leste europeu e do norte da África.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

quinze − sete =