Issur quer Ação Civil Pública contra aumento do GNV no Estado

Deputado pede intervenção do governador e diz que reajuste da Petrobrás é “inoportuno, injusto e descabido”

 

EstadoNa última segunda-feira (10), o deputado estadual Issur Koch (PP) solicitou ao governador Eduardo Leite que a Procuradoria-Geral do Estado (PGE/RS) ingresse com Ação Civil Pública contra a Petrobrás. O objetivo é tentar impedir o aumento médio de 30% sobre o preço do gás natural comercializado no Estado. A proposta do parlamentar é de que, com uma liminar, o valor do metro cúbico do GNV permaneceria inalterado até abril de 2022. Segundo Issur, outros 6 estados do Brasil questionaram a decisão e tiveram sucesso em ações que evitam o aumento no preço.

Para o deputado Issur, a atuação da PGE é fundamental para preservar os interesses de milhares de gaúchos que utilizam diariamente o gás natural como fonte de energia limpa. “É inegável que este repasse impactará no fornecimento a milhares de residências e estabelecimentos comerciais e industriais, assim como no abastecimento de boa parte da frota de veículos, especialmente aqueles utilizados para o transporte de passageiros – táxis e aplicativos”, destacou.

Segundo Issur, o reajuste proposto pela Petrobrás impactará negativamente o desenvolvimento econômico do Rio Grande do Sul, justamente em um momento em que o mundo volta a enfrentar o aumento de casos de Covid-19 com uma nova variante. Para motoristas gaúchos, o GNV tornou-se uma das principais alternativas à gasolina. Apenas em 2021, o total de adaptações de veículos para GNV aumentou 38,6% entre janeiro e setembro, na comparação com o mesmo período de 2020, de acordo com o Detran/RS. Atualmente, a frota gaúcha chega a 90 mil veículos convertidos.

 

AGERGS

Agência Estadual de Regulação dos Serviços Públicos Delegados do Rio Grande do Sul (Agergs) autorizou a Sulgás, na última sexta-feira (7), a reajustar em 27% o gás natural em janeiro de 2022 na média ponderada. Desta forma, o aumento para o gás residencial chegará a 14,24%, conforme o volume diário. Já no comercial, a variação ficará entre 13,25% e 17,24%, enquanto que a indústria terá reajuste de 22,82% a 30,12%, de acordo com o volume cúbico por dia. Para os usuários de Gás Natural Veicular, o aumento é de 27,99%. Os reajustes foram confirmados e homologados pela Agergs em reunião na última terça-feira (11).

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

18 − 3 =