NOVO HAMBURGO – Legado de Carlão e Sebastião Flores norteia debate do Projeto Cidade (In)visível

Bate-papo será transmitido no dia 30, às 19 horas, ao vivo pela TV Câmara 

A última live do ano do projeto Cidade (In)visível traz como tema o legado cultural e artístico de Carlos Alberto de Oliveira – Carlão e de Sebastião Flores. No mês da Consciência Negra, será abordada a história desses dois expoentes da cultura hamburguense e também a importância de incluir a trajetória de mulheres e homens pretos na história oficial do município. O encontro terá a participação da presidente da escola de samba Protegidos da Princesa Isabel, Lana Flores, da psicóloga e doutora em Artes Visuais Mara Weinreb, e do historiador e fundador do Coletivo Fanon, Orson Soares. O bate-papo será transmitido no dia 30, às 19 horas, ao vivo pela TV Câmara, canal 16 da Claro/Net, e no YouTube da emissora legislativa.

Lana é graduada em Recursos Humanos e segue a trajetória dos pais, Sebastião e Nair, à frente da única escola hamburguense que desfila também na Capital. A verde, vermelho e branco da Rondônia se destaca por sua atuação comunitária, com projetos sociais em parceria com a prefeitura, dentre eles a Protegidos do Amanhã. Recentemente, a entidade promoveu a 1° Feira Negra do Livro. Em parceria com a Feevale, a gestora está desenvolvendo o projeto do memorial Sebastião Flores.

A Arteterapeuta Mara Weireub possui mestrado em História, Teoria e Crítica da Arte e doutorado em Artes Visuais, ambos pelo Instituto de Artes UFRGS. Graduada em psicologia, atua com arte, cultura, saúde mental, psicologia, e inclusão. Até 2020, foi docente e coordenadora do curso de especialização em Arteterapia da Universidade Feevale.

Orson Soares é especialista em cultura afro-brasileira, mestre e doutorando em História na UFRGS. Professor, historiador e agitador cultural, promove cursos e palestras sobre temas raciais. É autor do livro “A bondade do branco: o olhar da branquitude sobre a questão racial no filme Também Somos Irmãos”, que será lançado em breve.

Obra em prol da cultura popular  

Carlão representa um dos nomes mais importantes da arte Naif. Sua obra, voltada para a cultura popular e para os acontecimentos cotidianos, marca a história da cidade. Com Marciano Schmitz e Flávio Scholles, participou do movimento Casa Velha nos anos de 1970. Em 1996, recebeu menção honrosa na Bienal Naïfs do Brasil, em Piracicaba/São Paulo. Atuou como funcionário público, trabalhando no Atelier Livre Municipal até a sua aposentadoria. Em 2014, um ano após sua morte, a Lei Municipal nº 2.711/2014 transformou o espaço gerido pela Secretaria de Educação em Escola Municipal de Arte Carlos Alberto de Oliveira – Carlão. Também foi criado um memorial em seu nome, localizado no Espaço Cultural Albano Hartz.

Carnavalesco histórico 

Considerado uma das figuras mais importantes do carnaval gaúcho, Sebastião Flores presidiu a Escola de Samba Protegidos da Princesa Isabel em Novo Hamburgo por 38 anos, desde a sua fundação em 1969. Ao longo da vida, o carnavalesco recebeu diversas homenagens, também atuou contra a discriminação racial. Ele, que morreu em 2011, dá nome a prêmio instituído pelo Legislativo hamburguense, por meio do Decreto n° 3/2011. A honraria tem por objetivo reconhecer e valorizar o trabalho de pessoas e entidades que lutam pela defesa dos direitos dos negros e negras e pelo combate ao racismo, além de incentivar ações da sociedade civil em defesa dos direitos humanos e pela igualdade racial. Flores também foi responsável pela coleta do acervo historiográfico que hoje compõe o memorial Sebastião Flores, localizado junto à quadra da agremiação.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

12 − três =