PAÍS – Governo Federal incentiva cidadãos a economizarem energia elétrica

Confira dicas para economizar em sua casa e conheça o projeto do Governo que incentiva a redução e traz bônus  

Qualquer forma de economizar é bem-vinda nos tempos atuais. Além dos alimentos e do combustível, cujos preços aumentam a cada dia, a conta de energia elétrica também ficou mais cara. Em agosto, a Aneel (Agência Nacional de Energia Elétrica) lançou uma nova bandeira tarifária, que está em vigência desde setembro e aumentou em 7% a conta de energia da população brasileira. 

A alta no valor da conta de luz também provoca o aumento de preços em quase todos os setores da economia, comprometendo ainda mais o já curto orçamento familiar. Por isso, o brasileiro está tendo de encontrar maneiras de diminuir o consumo de energia. Além do básico, como apagar as luzes de um cômodo enquanto ele está vazio, não dormir com a TV ligada e não deixar a porta da geladeira aberta, é preciso evitar a fuga de corrente. 

A fuga de corrente é um problema comum e é caracterizado por uma conexão elétrica atípica. O vazamento acontece, em grande parte, devido às imperfeições nos isoladores ou nos materiais dos componentes dos equipamentos elétricos, como semicondutores e capacitores. Até mesmo um fio desencapado ou desgastado pelo tempo pode estar provocando a fuga de corrente elétrica. 

Custos a serem observados  

Há situações em que uma pessoa diminui o consumo de energia elétrica durante todo o mês, mas, quando a conta chega, o valor é praticamente o mesmo dos meses anteriores. Ela pode ter em casa uma fuga de corrente. E como saber se é realmente o caso? Para isso, é preciso desligar o disjuntor principal do painel de serviço da casa (caixa do disjuntor) e observar o medidor de energia elétrica. Ele (o medidor) não deve estar funcionando – se estiver, você descobriu o vazamento. 

É preciso recorrer ao auxílio de um profissional eletricista para resolver o problema. Ele pode utilizar um multímetro e outros equipamentos para medir a corrente elétrica e descobrir de onde o vazamento está surgindo. Além disso, fará tudo com as devidas medidas de segurança, sem riscos para os moradores da casa e para ele próprio. Afinal, lidar com energia elétrica exige conhecimento técnico especializado e equipamento de proteção. 

Às vezes, economizar energia não é o suficiente. É preciso realizar a manutenção da instalação elétrica da casa e substituir eletrodomésticos defeituosos/antigos e com fios desencapados por outros aparelhos.  

Programa prevê desconto  

Diante da maior crise hídrica registrada nos últimos 90 anos, o risco de apagão energético no Brasil passou a ser cada vez mais discutido e preocupa, tanto os especialistas quanto a população. 

Em setembro, a bandeira tarifária de “escassez hídrica” passou a valer, acrescentando R$ 14,20 na conta de luz a cada 100 kWh consumidos. Para tentar amenizar a escassez, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) lançou o Programa de Incentivo à Redução Voluntária do Consumo de Energia Elétrica, que prevê bônus para consumidores residenciais e pequenos negócios que economizarem de acordo com a meta estabelecida. 

Incentivo  

Para fazer parte do programa, os consumidores precisam reduzir, no mínimo, 10% do consumo de energia elétrica, somando os meses de setembro a dezembro de 2021, em comparação com o consumo registrado no mesmo período de 2020. Caso seja atingida essa meta de redução, o consumidor receberá desconto de R$ 50 por cada 100 KWh (quilowatt-hora) de energia racionada no período estipulado. O bônus será creditado na conta de luz e é limitado a 20% da energia economizada. Se o consumidor economizar 30%, por exemplo, receberá o bônus limitado aos 20%.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × 5 =