NOVO HAMBURGO – Comusa alerta para necessidade de melhorias na reservação regional de água

Crise hídrica será um dos temas abordados na Semana Interamericana da Água que começa nesta sexta-feira (1º) 

A atual crise hídrica e os desafios dos períodos de seca no Estado são alguns dos temas que exigem reflexão na Semana Interamericana da Água, que tem início nesta sexta-feira (1º) e segue até o dia 9. A programação contará com eventos, em parceria com a Prefeitura de Novo Hamburgo, além cards e vídeos nas redes sociais da Comusa – Serviços de Água e Esgoto de Novo Hamburgo para falar sobre a necessidade dos investimentos do saneamento a longo prazo. “É um tema que sempre lembramos quando o verão se aproxima e, no resto do ano, parece que a maior parte da comunidade esquece. Enquanto em 2020 tivemos a maior seca da história da Comusa, neste ano estamos passando por uma crise energética como não víamos em 20 anos. E isso já é um sintoma grave que precisamos melhorar nossa reservação regional de água. Se não agilizarmos esse planejamento, os próximos anos serão ainda piores”, alerta o vice-prefeito e diretor-geral da Comusa – Serviços de Água e Esgoto de Novo Hamburgo, Márcio Lüders. 

Importância  

Em outubro de 2019, antes do período de seca histórico, que resultou no menor nível já registrado pela Comusa no Rio dos Sinos (1,75m na captação da autarquia), Lüders defendeu junto ao Comitesinos a importância de trabalhar na reservação. “Temos que pensar em métodos de reservação para nossa região. Temos os estudos já feitos pelo Comitesinos que precisam ser colocados em prática. Mas, não podemos adiar mais. Nosso leito do rio, devido às décadas de poluição e cheias, não segura mais a vazão por muito tempo. Precisamos dar um jeito de garantir que essa água permaneça na nossa região para evitar o desabastecimento. Estamos perdendo um tempo que não temos”, frisou. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

doze + dezessete =