PAÍS – Variante Delta sepultou vacinas e tornou passaportes sanitários inúteis, dizem infectologistas

Mesmo com crescente preocupação por reações adversas, obrigatoriedade de vacinas é aprovada por prefeitos de capitais brasileiras

A divulgação de resultados das análises do infectologista Ricardo Zimermann trouxeram a conclusão de que as vacinas de primeira geração para SarsCov2 ficaram obsoletas diante das mutações do vírus, o que torna os “passaportes sanitários” inúteis. Com menor patogenicidade, a variante Delta representa uma chance de imunização de rebanho no sentido tradicional do termo, como salientou recentemente o médico Roberto Zeballos.

As causas para a mutação do vírus ainda não são totalmente conhecidas, mas Zimermann suspeita da chamada “zoonose reversa”, quando os animais infectados pela variante inicial humana transmitem novamente ao homem, trazendo “novidades” evolutivas do vírus. Outros sugerem que houve manipulação humana do vírus desenvolvido originalmente no labortatório de Wuhan. Independente da origem e da causa das mutações, o fato é que a delta trouxe mudanças que não estavam previstas pelos que ofereceram as soluções para a pandemia.

Preocupação 

O infectologista Francisco Cardoso comentou as observações em seu twitter no último dia 24. “Extremamente preocupante esse achado. A variante delta sepultou, pelo visto, as vacinas anti-SARSCov2 de primeira geração. Passaportes sanitários serão inúteis. Ferrou geral. Vamos precisar de novas plataformas. Nossa sorte é que essa cepa é realmente pouco letal”, comentou.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

um × 4 =