ESTADO – Issur: “Pedágio na RS-118 é um deboche com os gaúchos”

A nova praça de pedágio ficará localizada em Gravataí, no km 22,6 

O deputado estadual Issur Koch (PP) é contra a instalação de pedágio na RS-118. A proposta foi apresentada pelo governo Leite dentro do Plano de Concessões de Rodovias Estaduais. A nova praça de pedágio ficará localizada em Gravataí, no km 22,6, tendo como preço de referência a tarifa de R$ 7,39, podendo ter variação para mais ou para menos, de acordo com a licitação programada para dezembro deste ano.

“É inadmissível que o governo faça com que a sociedade pague duas vezes pela mesma rodovia – uma para sua duplicação e outra para sua utilização. Isto é um deboche, uma verdadeira bofetada na cara dos gaúchos, que já sofrem com uma das mais altas cargas tributárias do País”, alertou.

A RS-118 foi entregue após quase duas décadas de obras e tendo passado por cinco governadores. Realizada com dinheiro público e muitos empréstimos – o último deles, de R$ 131 milhões, foi obtido pelo governo Leite em financiamento do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) –, permitiu a conclusão do trecho de 21,5 quilômetros da rodovia.

Parceria público-privada 

Issur entende que a iniciativa privada pode e deve participar de obras importantes para a infraestrutura, desde que participe da divisão dos custos para sua construção. “As Parcerias Público-Privadas são uma realidade e estão aí para isso. Como presidente da Frente Parlamentar pela Extensão da BR-448 na Assembleia Legislativa, inclusive, defendo esta modalidade para continuidade desta rodovia, entre Esteio e Portão. Não é o caso da RS-118, onde os gaúchos seguirão pagando o empréstimo do BNDES e serão obrigados a pagarem pedágio por 30 anos para sua utilização. Isso tem nome: exploração”, concluiu.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

doze − 12 =