ESTADO – Issur Koch pede ao governo ampliação de horário para o comércio no RS

Deputado entende que restrição causa aglomerações e favorece transmissão do vírus 

Issur Koch, deputado estadual do RS – Crédito: Divulgação

O deputado estadual Issur Koch voltou a defender a ampliação do horário para o comércio nesta terça-feira (09.03), em ofício enviado ao governador Eduardo Leite. “Temos plena consciência das dificuldades enfrentadas pelo setor da Saúde e seus profissionais, que estão exauridos naquele que representa o momento mais desafiador para governo e sociedade no combate à Covid-19. No entanto, entendemos que a restrição à atividade do comércio não trará os benefícios desejados pelo Estado, pelo contrário, criará novas dificuldades tanto de ordem sanitária quanto econômica”, pontuou. 

Ainda antes do agravamento da pandemia no RS, Koch sugeriu ao governo a ampliação do horário do comércio por entender que, quanto mais restritiva for a atividade, menos tempo as pessoas terão para fazer suas compras. “Com menos tempo para irem ao comércio, maior a possibilidade de aglomeração e de contágio as pessoas terão”, defendeu.

Estratégia  

O deputado lembrou que esta estratégia já tem sido utilizada em diferentes partes do mundo, com bons resultados. “O que pedimos é bom senso de todos a fim de que possamos salvar vidas sem comprometer a economia e seus empregos. Na Inglaterra, por exemplo, o comércios funcionou durante 24h no Natal e durante todo o mês de janeiro, tendo como princípio básico evitar aglomerações. Temos certeza de que o senhor governador tem as melhores intenções, mas a adoção de medidas como esta, além da criação de horários específicos para atendimento dos grupos de risco, poderia auxiliar para que retomemos a normalidade o mais breve possível”, ressaltou.

Dificuldades  

Issur destacou que o comércio tem sido seriamente afetado pelas decisões governamentais, com reflexos diretos no desemprego e no fechamento de empresas. Dados da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) indicam que 75 mil estabelecimentos comerciais com vínculos empregatícios fecharam as portas no Brasil em 2020. De acordo com a entidade, o número é calculado a partir da diferença entre o total de abertura e de fechamento das lojas.   “O que assusta no levantamento da CNC é que as micro e pequenas empresas responderam por 98,8% dos pontos comerciais fechados, o que comprova que o comércio de bairro e o pequeno empresário foram os mais atingidos pela pandemia”, definiu. 

O parlamentar também enviou ofício ao Ministério Público, pedindo apoio do MP pela ampliação do horário comercial.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

três × 4 =