TV JORNAL RS – UNIVALE mostra que pequenas atitudes fazem a diferença

Responsável pela Coleta Seletiva em 11 bairros de Novo Hamburgo, cooperativa está há cinco anos na cidade 

Alessandro, presidente da UNIVALE – Crédito: Divulgação

A coleta seletiva é de extrema importância para o desenvolvimento sustentável e tornou-se uma ação importante na vida moderna devido ao aumento do consumo e consequentemente do lixo produzido. O lixo mundial deve ter um aumento de 1,3 bilhão de toneladas para 2,2 bilhões de toneladas até o ano de 2025, segundo as estimativas do Programa das Nações Unidas para o Meio Ambiente (Pnuma). Responsável pela coleta seletiva em 11 bairros de Novo Hamburgo, a Cooperativa UNIVALE atua há cinco anos já cidade. A reportagem da TV Jornal RS esteve no local conferindo o trabalho da cooperativa. 
O presidente da cooperativa, Alessandro dos Santos Alves, explicou que a coleta seletiva evita a disseminação de doenças e contribui para que os resíduos se encaminhem para os seus devidos lugares. “Separar os resíduos entre plástico, metal, papel, vidro e etc. também contribui para acabar com poluições tóxicas que contaminam solos e águas de rios, trazendo malefícios imensuráveis ao longo do tempo. É um bem enorme para a sociedade”, destacou. 

Números 

Alessandro explicou que são aproximadamente 50 toneladas de resíduos que são separados e enviados aos locais corretos pela cooperativa. “Aqui, temos 25 colaboradores que realizam esta garimpagem, separando materiais e auxiliado no descarte correto. Recebemos vários materiais, como eletrônicos, por exemplo, que ninguém imagina”. 

O presidente ainda lembra que o local é de suma importância para a comunidade. “Temos o apoio da prefeitura de Novo Hamburgo e sabemos da relevância deste espaço, que ajuda a diminuir a agressão a natureza e ainda é a ponte para o sustento de 25 famílias”, pontua. 

Coleta seletiva 

Sobre o método de coleta seletiva, cada tipo de resíduo tem um processo próprio de reciclagem, conforme explica Alessandro. “Na medida em que são misturados, o processo pode se tornar mais caro ou mesmo inviável, pela dificuldade de separá-los de acordo com a sua composição”, destaca. 

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

7 + 4 =