OPINIÃO – O clássico da consolação

Postado por Ari Schneider  /   outubro 31, 2019  /   Postado em Opinião  /   Nenhum comentário

Renan Silva Neves.

Há cerca de dois meses, vivíamos a expectativa dos novos Gre-Nais do “século”. A alcunha, criada após o triunfo colorado na semifinal do Brasileirão de 1988, parecia estar próxima de ser realojada para os possíveis clássicos que decidiriam a Copa do Brasil e que carimbariam uma vaga  para a final da Libertadores. Porém, o Inter caiu para o Flamengo nas quartas de final da competição continental. E o Grêmio foi derrotado pelo Athletico Paranaense na semi da Copa do Brasil. Como se não bastasse, a dupla resolveu se abraçar nas derrotas. Parafraseando a cantora Marília Mendonça, “ninguém foi sofrer sozinho e todo mundo sofreu”: na semi da Libertadores, o tricolor sofreu derrota vexatória para o Flamengo. E o Inter deu adeus ao sonho do título da Copa do Brasil em duas derrotas para o Athletico. Do sonho de quatro GreNais decisivos e dois títulos para o futebol gaúcho, restou apenas o clássico do próximo domingo (3) pelo Brasileirão. E o GreNal da Arena pode também ganhar uma alcunha: “Clássico da consolação”.

Para duas equipes que sonhavam com um título de expressão há pouco tempo, a vitória no clássico significará somente isto: um prêmio de consolação. Tudo bem, os três pontos podem ser determinantes para a disputa por uma vaga na Libertadores, concordo com quem pense desta forma. Porém, para a expectativa que Grêmio e Inter causaram, o GreNal será simplesmente um mero cumprimento de tabela.

Os dois clubes chegam a Arena com uma quilométrica ficha de reclamações de suas torcidas. No Grêmio, apesar dos últimos anos vitoriosos, a insatisfação está mais latente, tendo em vista que a derrota para o Flamengo ainda é recente e machuca o coração dos torcedores. Da confiança em ser mais uma vez campeão da América, restou ao técnico Renato Portaluppi realizar uma boa campanha no Brasileirão. Elenco para brigar pelas primeiras colocações o tricolor possui de sobra.

Para o torcedor Colorado, o momento ainda é de desconfiança.  A doída derrota na final da Copa do Brasil deixou marcas profundas. Odair Hellmann saiu. Diversos nomes foram especulados e Zé Ricardo assumiu o comando. A estreia do técnico foi promissora, com vitória fora de casa contra o Bahia. Para muitos, a postura do time em campo foi satisfatória. Porém, ainda é um início de trabalho. E o descrédito com a perda do título nacional ainda suprime a empolgação pela campanha razoável/boa que o Inter está fazendo no Brasileirão. Ao que indica, o clube deve brigar até o fim pela vaga na Libertadores e a chance de obter sucesso é boa.

Independente de quem vença o clássico, ou mesmo de quem termine na frente o campeonato, o ano terá sido decepcionante para dupla. O Grêmio, apesar do título gaúcho, caiu de forma traumática em duas competições de mata-mata, o que é sua especialidade. O Inter, que chegou a empolgar em alguns momentos, sofreu queda vertiginosa após a Copa do Brasil e terminará o ano sem títulos. A cobrança ao final do ano será grande, tanto do lado alvirrubro, quanto do tricolor. Em uma época de tanta desconfiança da torcida, a vitória no GreNal de domingo pode simbolizar uma tranquilidade momentânea e alguns dias de cornetas para os torcedores nas redes sociais. Mas é somente isto. Infelizmente, um prêmio de consolação.

Postar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

dois × cinco =

  • Telefones:

    (51) 3595-0777

    (51) 9 9700-8677 (WhatsApp)