Câmara de Campo Bom já opera com 100% de energia renovável

Postado por Ari Schneider  /   novembro 23, 2018  /   Postado em @destaque-foto  /   Nenhum comentário

Solenidade no plenário do Legislativo simbolizou o início das operações com energia solar

A noite de quarta-feira, dia 21, ficará marcada para sempre na história de Campo Bom. De forma oficial e com uma ligação simbólica por questões de segurança, o prédio do Poder Legislativo de Campo Bom inaugurou as instalações de sua usina solar que permitirá a geração de 100 % da capacidade necessária para a operação do prédio. O pioneirismo de Campo Bom demonstrado em outras atividades também está contemplado nesta obra, uma vez que será o primeiro prédio de um Poder Legislativo do Brasil a ser alimentado 100% com energia fotovoltaica.

Em uma solenidade realizada no plenário da Câmara de Vereadores, o presidente do Legislativo, Victor Souza, apresentou a comunidade a obra realizada e conduziu, simbolicamente, o desligamento da energia recebida através da rede e a ligação da energia captada através da usina solar. Representantes de Executivos e Legislativos prestigiaram a cerimônia, assim como personalidades da área da educação, da área religiosa, além de representantes de entidades e de clubes de serviço da cidade.

Entre os convidados que fizeram sua manifestação pública, o Secretário Municipal de Meio Ambiente, João Flávio da Rosa, comemorou a iniciativa do Poder Legislativo. “Sei o quanto o Victor é preocupado com as questões de sustentabilidade e quando conhecemos o projeto há alguns anos eu tinha certeza que na primeira oportunidade, ele não mediria esforços para viabilizar essa iniciativa”, salientou. “Estamos falando de um pioneirismo na área pública de grande importância para o futuro da cidade”, completou Rosa.

Na mesma linha de destaque de inovação da Câmara de Vereadores, o reitor da Universidade Feevale, Cleber Prodanov, exaltou a obra executada. “O Legislativo de Campo Bom está de parabéns por essa inovação fantástica. A usina solar é um exemplo para as demais cidades e espero que seja seguido, garantindo ainda mais sustentabilidade nesses locais”, pontuou. “Não importa o tamanho da obra, mas sim a importância que ela representa”, concluiu.

A obra permitirá uma economia de recursos ainda maior por parte do Legislativo, podendo ser devolvido ao Executivo para aplicação em investimentos. O vice-prefeito da cidade, José Roberto dos Santos, comemorou essa possibilidade. “Estamos muito entusiasmados com essa obra, pela capacidade de sustentabilidade e pela economia que será possível por parte da Câmara. Mais uma demonstração de responsabilidade do presidente Victor e dos demais vereadores”, comentou Santos.

A ideia de instalar a usina solar no prédio do Legislativo de Campo Bom era um desejo do presidente Victor Souza, que não escondeu a satisfação de entregar a obra para a comunidade. “Conheci o projeto da usina solar lendo sobre uma escola do Rio Grande do Norte que contava com o sistema e coloquei como meta que o dia que fosse presidente não mediria esforços para concretizar”, explicou Victor ao lembrar que chegou a afetar sua rotina enquanto a obra não era finalizada. “Não escondo de ninguém que perdi o sono muitas vezes neste ano durante a execução das instalações, com medo que não conseguiria entregar essa obra para a comunidade”, lembrou o presidente do Legislativo.

Souza também reconheceu o esforço dos envolvidos na viabilização do projeto. “A usina solar era um sonho meu, mas com o passar do tempo passou a ser um sonho de todos os que se envolveram para tornar essa obra realidade e a eles serei eternamente grato”, salientou. “No meu mandato sempre participei de atividades ligadas a área da sustentabilidade e esse sonho que tinha da usina solar não era para mim e sim para a nossa comunidade. De deixar um legado para a nossa cidade e hoje tenho certeza que o futuro de Campo Bom passa por essa obra”, finalizou Victor.

Na usina solar do Legislativo de Campo Bom foram instalados 112 módulos para a geração da energia fotovoltaica. O espaço utilizado para instalação dos 112 módulos é de 220m² em uma área total do prédio de 624m².

A capacidade instalada dos 112 módulos permitirá que sejam gerados 40kWp (watt de pico), porém de início serão gerados 37kW (watt de pico). Essa geração tornará o prédio do Legislativo será 100% sustentável e a economia anual deve superar os R$ 60 mil. Com o contrato com valor total de R$ 154.554,30 (Cento e cinquenta e quatro mil, quinhentos e cinquenta e quatro reais e trinta centavos). Todos os equipamentos instalados permitem a geração de energia solar pelo prazo mínimo de 25 anos.

Postar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

14 − 10 =

%d blogueiros gostam disto: