Vereador Diego Martins cobra políticas municipais voltadas à segurança

Postado por Ari Schneider  /   novembro 09, 2018  /   Postado em Geral  /   Nenhum comentário

Parlamentar voltou a reivindicar a implantação do GGI para que haja um fórum local de debates acerca de segurança pública

Uma série de crimes registrados nas últimas semanas, com destaque para o arrombamento de um caixa eletrônico do Banrisul na tarde de domingo, levou Diego Martins à retomar a pauta da segurança na sessão de segunda, dia 5. Segundo ele, o ataque à instituição poderia ter sido evitado caso estivesse em vigor a lei municipal que obriga os bancos a manterem vigilância armada 24h. Outra medida preventiva, disse o emedebista, seria a implementação de seu projeto que prevê câmeras de monitoramento nas áreas externas das agências.

Neste contexto, o parlamentar voltou a reivindicar a criação do Gabinete de Gestão Integrada, um órgão municipal que uniria poder público e sociedade civil organizada em debates sobre segurança. “Por vezes, o problema é uma lâmpada queimada em frente à tua casa, um terreno onde não foi feita a limpeza. Se todo mundo sentar em uma mesma mesa, quem sabe a gente consegue resolver as coisas de um modo mais rápido”, analisa.

Em seu discurso, o parlamentar destacou que a nova bancada federal gaúcha, em reunião na semana passada, definiu que uma das emendas não impositivas ao orçamento da União de 2019 irá contemplar a extensão da BR-448 até Portão. Os valores, segundo ele, contemplam o Estudo de Viabilidade Técnica, Econômica e Ambiental e o projeto preliminar da rodovia. “Estamos na iminência de uma luta melhor para que a gente consiga essa extensão, tendo em vista que agora nossos deputados entenderam a importância desta prioridade, mas continuaremos na cobrança.”

Da tribuna, Diego lembrou já ter solicitado ao Município um estudo para que as faixas de pedestre sejam recuadas em relação aos cruzamentos e, além disso, ganhem defensas metálicas para as pessoas não cruzarem por fora. “Às vezes, os carros precisam parar no meio da via para o pedestre atravessá-la. Falta entendimento de quem deve passar primeiro, o que pode causar acidentes. Precisamos de políticas efetivas para tornar a mobilidade urbana melhor.”

Quanto à cedência de dragas por parte do governo estadual, em atenção a reiterados pedidos do presidente da Câmara, Diego afirmou já ter contatado o líder do governo na Assembleia, Gabriel Souza, para fazer a intermediação. A intenção é conseguir o maquinário emprestado para desassorear arroios e, assim, reduzir os alagamentos causados por chuvas fortes.

Postar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

15 + dezenove =

%d blogueiros gostam disto: