Comunidade valoriza iniciativa de descentralização das sessões

Postado por Ari Schneider  /   novembro 07, 2018  /   Postado em @destaque-foto  /   Nenhum comentário

Encerramento dos trabalhos fora do plenário ocorreu em um dos maiores bairros da cidade

Na noite da última segunda-feira, dia 5, o Legislativo de Campo Bom realizou sessão ordinária e sessão extraordinária, com os trabalhos foram sediados pela Associação Comunitária Floresta, Operária e Esperança, no bairro Operária.

Esta foi a última vez em 2018 que os vereadores reuniram-se em sessões descentralizadas do plenário. A iniciativa da Mesa Diretora de permitir uma aproximação ainda maior entre comunidade e parlamentares ocorreu em outras cinco oportunidades e dividiu a cidade em regiões a fim de contemplar todos os bairros. Além dos trabalhos rotineiros, a sessão contou com a manifestação de dois representantes de associações de moradores no espaço da Tribuna Popular.

Milton da Silva Ramos, dirigente da ACOFE, destacou a iniciativa de aproximação do Legislativo com a comunidade. “Hoje (segunda, 5/11) esse ato democrático de trazer a sessão até o bairro mostra o papel tão importante que tem o Legislativo de nossa cidade”, comentou. “Campo Bom avança, tendo em vista o momento que vivemos e a construção da democracia se faz no dia a dia da comunidade”, finalizou.

Jair Motta de Oliveira, dirigente da Associação de Moradores Resistência e Luta, enfatizou a aproximação dos vereadores e defendeu mais investimentos em habitação na cidade. “Agradecemos a oportunidade de estar aqui representando nossa entidade e reafirmamos que a luta por moradia não vai parar. Fomos beneficiados recentemente pela Administração e assim vamos continuar”, pontuou.

Na votação da Ordem do Dia das sessões ordinária e extraordinária, os vereadores aprovaram requerimento do vereador Max de Souza, que solicita à RGE Sul poda de árvores em rua do bairro Porto Blos, e projetos enviados pelo Executivo que tratam de alterações em leis municipais, além de emenda com proposta de alteração na lei orgânica municipal.

Postar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

1 × 2 =

%d blogueiros gostam disto: