Comissão de Obras busca regularização do loteamento Coopserv, no bairro Lomba Grande

Postado por Ari Schneider  /   outubro 19, 2018  /   Postado em Geral  /   Nenhum comentário

Vereadores Fernando Lourenço e Sergio Hanich visitaram as ruas Ingá Feijão e Arueira

Na manhã desta quinta-feira, dia 18, os vereadores Fernando Lourenço e Sergio Hanich, representantes da Comissão de Obras, Serviços Públicos e Mobilidade Urbana se encontraram com moradores do bairro Lomba Grande e visitaram as ruas Ingá Feijão e Arueira, que ficam no loteamento Coopserv. Segundo Serjão, desde 2013, quando ele também presidia o grupo de trabalho, há uma questão jurídica que envolve a cooperativa habitacional, dificultando a regularização do local. A convite dos parlamentares, representantes da Prefeitura e da Comusa também participaram do encontro.

A atual diretora-presidente da Coopserv, Márcia Rocha, contou que já protocolou diversos pedidos ao Executivo e não obteve resposta. “Temos muitas dificuldades aqui, especialmente a situação das ruas. Há também o problema de regularização de alguns lotes, que estão hipotecados.” Márcia relatou ainda que, como a rua principal não teve sua rede pluvial concluída, a cada chuva mais forte os habitantes dessas duas vias sofrem com as enxurradas. Outra situação, segundo a dirigente, é a de proprietários que adquiriram os terrenos posteriormente, de terceiros. “Eles não entendem como é o funcionamento da cooperativa e não contribuem com a quantia de R$ 30 mensais, que vai para o caixa da entidade.”

Serjão explicou que, além de auxiliar a cooperativa a resolver o entrave jurídico, a ideia é buscar a manutenção emergencial das vias junto ao Executivo. Já o vereador Fernando enfatizou a importância da diretoria da Coopserv encaminhar a documentação para liberar o CNPJ da entidade, hoje inativo. Após a decisão judicial, que deve definir se a área ficará ou não sob responsabilidade do Município, é preciso solucionar também a questão dos 49 lotes doados à Prefeitura como contrapartida, mas que hoje estão habitados.

O diretor de habitação e cooperativismo de Novo Hamburgo, Rodrigo Colissi, garantiu que a municipalidade pretende investir na infraestrutura do loteamento, por meio da lei de regularização fundiária. “Hoje a legislação permite que façamos isso, desde que a documentação esteja toda em dia.” Colissi lembrou que outras duas cooperativas habitacionais, localizadas na Roselândia, já passaram por esse processo.

Postar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

três + dezessete =

%d blogueiros gostam disto: