Bolsonaro deve ficar no Rio de Janeiro quando receber alta e não descarta presença no debate da Globo

Postado por Ari Schneider  /   setembro 21, 2018  /   Postado em Geral  /   Nenhum comentário

Segundo boletim médico divulgado na terça-feira, Bolsonaro permanece internado UTI, apresentando evolução clínica satisfatória

Jair Bolsonaro, candidato à Presidência pelo PSL, internado no hospital Albert Einstein, em São Paulo.

Apesar de ainda não haver qualquer previsão de alta da equipe médica para o presidenciável Jair Bolsonaro, internado desde que levou uma facada há 13 dias, familiares e aliados já começaram a planejar os passos do deputado federal para quando ele deixar o hospital Albert Einstein, em São Paulo. Com a prudência de quem viu o candidato passar por uma imprevista cirurgia de emergência na quarta-feira, dia12, o entorno de Bolsonaro trabalha com a expectativa de que a internação dure no máximo outras duas semanas. O presidenciável sairia do Albert Einstein, portanto, a alguns dias do 1º turno, marcado para 7 de outubro. O plano é que o deputado federal seja levado de volta para o condomínio onde vive na Barra da Tijuca, na zona oeste do Rio de Janeiro.

De acordo com quem visitou o presidenciável nos últimos dias, Bolsonaro está muito ansioso para deixar o hospital. “Ele quer sair de lá hoje. Ele está louco para ir para a rua panfletar”, disse nesta terça o deputado estadual Flávio Bolsonaro, filho de Jair. Mas o quadro clínico do candidato ainda inspira cuidados. O último boletim médico informou que o candidato permanece internado na Unidade de Terapia Semi-Intensiva do hospital, “apresentando evolução clínica satisfatória e boa resposta ao tratamento realizado até o momento”. Ele não apresenta febre, que poderia ser um indício de infecção, mas ainda não consegue se alimentar oralmente e nem recuperou as funções intestinais. E ainda terá que passar por outra cirurgia, provavelmente até o fim do ano, para se livrar da bolsa de colostomia.

Embora as limitações médicas dificultem planos de campanha, Eduardo Bolsonaro disse achar que, se continuar evoluindo, o pai terá condições de participar do último debate do 1º turno, promovido pela TV Globo e marcado para o 4 dia de outubro. “Se o médico liberar, vontade não falta”, declarou o parlamentar, após reunião da cúpula da campanha do presidenciável, em São Paulo.

Flávio destacou que a decisão dependerá das orientações da equipe médica, mas afirmou que considera difícil que isso a “Tem essa parte técnica, que a gente não tem como definir, e a outra é o sentimento dele. Se ele sentir que vai lá para o sacrifício, ficar duas horas em pé com a bolsa de colostomia na barriga, com todos os transtornos e incômodo que isso causa, ele vai avaliar.” Presidente em exercício do PSL e um dos mais próximos aliados de Bolsonaro, o advogado Gustavo Bebianno, discorda e disse que seria “um sacrifício a troco de muito pouco resultado”. “Porque o modelo dos debates no Brasil nivela os candidatos por baixo, ninguém tem oportunidade de explicar absolutamente nada”, declarou. Já que não deve poder mais ir para as ruas durante o processo eleitoral, o candidato pretende durante fazer transmissões ao vivo pela internet no horário das propagandas gratuitas à noite. Deve executar o plano com mais frequência quando estiver em casa, mas já realizou a primeira de dentro do hospital, no último domingo. Na ocasião, ele chegou a falar em ter alta dentro de uma semana, previsão que é considerada pouco provável entre aliados.

Postar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

5 × três =

%d blogueiros gostam disto: