Plano traça o futuro da mobilidade urbana em Novo Hamburgo

Postado por Ari Schneider  /   junho 11, 2018  /   Postado em Geral  /   Nenhum comentário

Além de cumprir legislação federal, a iniciativa faz parte do plano de governo da administração ao pensar uma cidade mais voltada às pessoas

Diretor Nelson Dietrich Júnior, secretária Roberta Gomes de Oliveira, Prefeita Fátima, David Moncholí da IDOM e Ricardo Schiavon, Diretor de Trânsito, participaram da assinatura da ordem de início

Como deverá ser a mobilidade urbana de Novo Hamburgo nos próximos anos? A resposta é o desafio do consórcio IDOM_PLANMOB Novo Hamburgo, formado pela filial brasileira e a matriz espanhola da empresa IDOM, que foi selecionado pela Prefeitura Municipal para elaborar o Plano Diretor de Mobilidade Urbana do município. A ordem de início foi assinada na manhã de terça-feira (5), no Centro Administrativo Leopoldo Petry. A elaboração do Plano cumpre a Lei Federal 12.587 de 2012.

Com as mudanças significativas no sistema de transporte e circulação de Novo Hamburgo, o aumento da frota de veículos e os recentes programas de urbanização, a empresa IDOM, fundada em 1957, terá a missão de diagnosticar o deslocamento das pessoas e das cargas no espaço geográfico do município e propor soluções a curto, médio e longo prazo para melhorar a mobilidade urbana municipal, considerando a articulação necessária entre os sistemas produtivos, de transportes, trânsito (incluindo circulação, segurança, sinalização, estacionamento e acessibilidade) e a estrutura urbana.

“O Plano será elaborado com base em dados e pesquisas, com propostas alinhadas com os objetivos de mobilidade sustentável, priorizando os deslocamentos a pé, de bicicleta, transporte coletivo e, finalmente, o carro” explica David Moncholí, representante do consórcio da IDOM.

O Plano de Mobilidade Urbana trará como foco principal as pessoas. “Além de planejar uma circulação mais eficiente, o plano deverá traçar diretrizes para melhorias no transporte público, nos meios alternativos de transporte, na sinalização viária e encontrará meios de incentivar o uso de bicicletas e os deslocamentos a pé,” esclarece o diretor de Mobilidade Urbana, Nelson Dietrich Júnior. ”

O estudo considerará as diretrizes traçadas no Estatuto das Cidades e as ações do Ministério das Cidades, por meio da Política Nacional de Mobilidade Urbana, conforme a Lei 12.587 de 2012, aliado aos instrumentos de planejamento existentes no município.

Além de atender a legislação federal, a questão da Mobilidade Urbana também integra o plano de governo da atual administração, no sentido de pensar uma cidade mais voltada às pessoas. “O compromisso de preparar Novo Hamburgo para o futuro, com ações integradas, onde a sustentabilidade esteja cada vez mais presente, é uma iniciativa que começa a partir do planejamento. E este processo precisa ser construído com toda a comunidade. Por isso, a importância da participação nas audiências públicas que serão programadas”, ressalta a prefeita Fátima Daudt.

A contratação do consórcio passou por uma série de etapas de avaliações técnicas. “O processo começou em setembro do ano passado, com a publicação da manifestação de interesse para a contratação de serviços de consultoria. Das 23 empresas que se candidataram e, dentro dos critérios estabelecidos do programa de Seleção Baseada na Qualidade e no Custo (SBQC), restaram cinco consultoras, dentre elas, a IDOM foi a selecionada”, relembra a secretária de Desenvolvimento Urbano e Habitação, Roberta Gomes de Oliveira.

A empresa IDOM tem ampla experiência na elaboração de planos de mobilidade junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), ao redor do mundo e no Brasil, tendo atuado nas cidades de Santa Maria, Sobral, Forquilha, Coreau e Aracati no Ceará e Catanduva em São Paulo. Em Fortaleza, a empresa elaborou o plano cicloviário e, em Brasília, o Plano Diretor de Mobilidade de Pedestres.

O prazo para a entrega do Plano Diretor de Mobilidade Urbana é de 10 meses. A consultoria foi contratada dentro do Programa de Desenvolvimento Municipal Integrado (PDMI) de Novo Hamburgo, com recursos captados junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Postar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

cinco × dois =

%d blogueiros gostam disto: