Vereador Diego critica trabalho do governo municipal

Postado por Ari Schneider  /   abril 18, 2018  /   Postado em Geral  /   Nenhum comentário

Parlamentar reclamou que prefeito não deu créditos à oposição no projeto que altera cobrança da taxa de lixo de terrenos sem construção

Ao discursar na Tribuna do Legislativo durante a sessão desta segunda, dia 16, Diego Martins (MDB) endureceu o tom contra a Administração de Renato Chagas em função da polêmica do IPTU 2018 e da sujeira nas ruas da cidade. Na visão dele, o prefeito se esconde e tem falhado por não dar satisfações em público sobre as medidas tomadas diante das reclamações de erros e valores exagerados do tributo predial e territorial.

Também reclamou que o Executivo não deu os créditos aos vereadores de oposição no Projeto de Lei 23/2018, que tramita na Câmara propondo taxa de lixo única de R$ 56,00 para terrenos baldios e casas não averbadas.

“O governo age igual a um elefante numa loja de cristais, onde se mexe acaba quebrando tudo"

O vereador lamentou que o ofício assinado pelos 11 vereadores reivindicando isenção total de taxa de lixo não foi nem mesmo citado no PL 23 — gesto que, no entender dele, representa “represália” do governo municipal. “Isso é uma coisa que nós pedimos, porque representa o anseio das pessoas. É uma luta do povo. Não ficamos trancados dentro de um gabinete escondidos do povo, esperando a morte chegar”, comparou.

A esperança dele é que a planta de valores seja reavaliada pelo Município, ainda que em cumprimento a ordem judicial. Ao lado do colega Leco, Diego apresentou denúncia ao Ministério Público de Contas e, além disso, o caso segue tramitação na Defensoria Pública de Portão. “Entramos com uma ação na Justiça e, nos próximos dias, o prefeito será intimado a manifestar-se, porque de livre e espontânea vontade ele não o faz. Infelizmente, são necessárias medidas judiciais para que se faça a tão propagada justiça social ao povo de Portão”, ressaltou.

O parlamentar reafirmou que terá atuação crítica, independentemente de partido, governo e ocupante de cargo eletivo, porque a missão de sua carreira pública é defender a população. Neste sentido, recordou que, no segundo ano do governo Maria Odete Rigon (2013-2016), criticou o governo por ter entregue os carnês de IPTU “em cima de montes de entulhos”. Na sua visão, o atual trabalho de uma empresa terceirizada para limpeza da cidade não deixou a comunidade satisfeita, tanto que até mesmo a base do governo na Câmara tem feito queixas.

Postar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

treze + cinco =

%d blogueiros gostam disto: