Aumento de casos de sífilis em gestantes e bebês preocupa Secretaria de Saúde

Postado por Ari Schneider  /   abril 18, 2018  /   Postado em Geral  /   Nenhum comentário

A Secretaria oferece gratuitamente o serviço de teste rápido da doença

Uma doença silenciosa que, quando não tratada precocemente, pode evoluir para uma enfermidade crônica com sequelas irreversíveis. A sífilis é uma doença sexualmente transmissível, que também pode ser transmitida verticalmente (de mãe para filho durante a gravidez). A Secretaria Municipal de Saúde (SMS) de Campo Bom aponta números alarmantes e ascende um alerta para os moradores: as estatísticas da doença, que não param de aumentar na cidade, têm incidido cada vez mais entre gestantes e, consequentemente, nos bebês.

Segundo levantamento da Secretaria, em Campo Bom no ano de 2017 foram notificados 60 casos de sífilis adquirida, sendo destes 21 casos de sífilis em gestante e 7 casos de sífilis congênita. Somente nos dois primeiros meses deste ano já foram notificados 62 casos de sífilis adquirida, incluindo 13 casos de sífilis em gestante e 2 casos de sífilis congênita.

A titular da SMS, Suzana Ambros Pereira, alerta que a sífilis em gestantes tem consequências gravíssimas na formação da criança, principalmente alterações cerebrais. “Quanto mais cedo a gestante der início ao tratamento, melhor para a mulher e para a criança. Por isso, a necessidade de se iniciar o pré-natal o mais precocemente possível, uma vez que sob esses cuidados na rede pública de saúde, a mãe é monitorada e recebe o tratamento. Quando diagnosticada e tratada no primeiro trimestre da gestação, há menos chances de passar a doença para o bebê”, explica Suzana.

Suzana alerta ainda da importância de que os jovens em idade sexual ativa se previnam. “O uso de preservativos masculinos ou femininos em todas as relações sexuais é a melhor forma para prevenir doenças sexualmente transmissíveis e gravidez indesejada”, alerta a secretária.

A SMS oferece gratuitamente o serviço de testagem rápida para Sifilis, HIV/Aids e outras DSTs como Hepatites B e C em todas as Unidades Básicas de Saúde, além do CTA/SAE.

Sobre a sífilis

A sífilis é causada por uma bactéria que é geralmente transmitida via contato sexual e que entra no corpo por meio de pequenos cortes presentes na pele ou por membranas mucosas. Ela é uma das Doenças Sexualmente Transmissíveis (DST) mais comuns do mundo e que os últimos tempos não tem se dado a atenção necessária.

A doença se manifesta, geralmente, em três estágios diferentes: sífilis primária, secundária e terciária. Nos dois primeiros, os sintomas são mais evidentes e o risco de transmissão é maior. Depois, há um período praticamente assintomático, em que a bactéria fica latente no organismo, mas a doença retorna com agressividade.

A lesão inicial da sífilis (forma primária) caracteriza-se pelo surgimento de uma ferida (úlcera), no local de inoculação, o qual depende das práticas sexuais do indivíduo. Uma vez curada, a sífilis não pode reaparecer – a não ser que a pessoa seja reinfectada por alguém que esteja contaminado.

Postar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

nove + 8 =

%d blogueiros gostam disto: