Entrevista com o Presidente do Legislativo de Estância Velha Valdecir de Vargas

Postado por Ari Schneider  /   fevereiro 26, 2018  /   Postado em @destaque-foto  /   Nenhum comentário

Presidente da Câmara de Vereadores de Estância Velha na gestão de 2018, Valdecir foi eleito para seu segundo mandato com 839 votos, na campanha de 2016, pelo MDB. Natural de Alecrim, veio para Estância Velha em 1988, assumindo seu primeiro cargo como vereador na legislatura de 2009 a 2012, sendo neste último ano, presidente da casa Legislativa.

Em entrevista durante a tarde desta quarta-feira, 21, o parlamentar falou sobre sua expectativa de trabalho neste desafio, além de sua vida pessoal e seus planos para o futuro no âmbito político.

Seu carro-chefe é o projeto chamado “Dar vida para vida”, uma proposta de prevenção ao uso de drogas tanto lícitas como ilícitas. Em janeiro do ano de 2017, um projeto baseado em sua ideia inicial foi discutido na Câmara. Trata-se de um assunto muito importante, já que o objetivo é tirar as crianças da rua, pois há diversas políticas que podem ser trabalhadas em cima desta discussão, que por vezes não são bem exploradas.

Perguntado a respeito de voltar a ser presidente no ano de 2018, Valdecir disse que a situação muda por conta da bagagem de experiência. “Hoje a minha linha de trabalho é focada numa maneira diferente: economia no município. Até pela situação financeira que se encontra. Estamos trabalhando então nesta proposta que fiz para a mesa diretora”.

Valdecir também já foi diretor de obras na subprefeitura do Rincão dos Ilhéus durante 2 anos e 3 meses, em 2014/2015. Ele explica que Vereador muitas vezes faz o pedido, solicita e depende da Secretaria, das diretorias, do prefeito, etc.  Diferentemente de quando foi ligado diretamente à Secretaria de Obras, quando tinha a máquina na mão.

“Eu não posso dizer que não sou atendido. Muitas coisas nós conseguimos através da diretoria do Rincão também. Também não posso reclamar da administração passada, que seria oposição ao meu mandato, mas não o fez. Tive muitos pedidos atendidos. As expectativas para esse ano são as melhores possíveis. Estamos aqui trabalhando com a união dos vereadores. No começo até teve, digamos um ressentimento, pela eleição da mesa, mas a proposta que eu coloquei aos colegas vereadores que me apoiaram foi essa ideia de trabalhar em conjunto”.

O presidente diz que, para muitos, o último ano de Presidência é fantástico para fazer a sua campanha futura, mas que para ele isso não importa muito, já que não pensa na eleição de amanhã e sim no trabalho que deve fazer hoje para o bem da comunidade geral.

Dentro desta nova gestão, o vereador tem anteprojetos importantes em conjunto com os demais vereadores, como por exemplo, o da Coordenadoria da Mulher, de sua autoria. O objetivo é tratar de uma política mais forte e rígida em favor da mulher, inibindo diversos tipos de agressão física e verbal.

“Minha relação com a prefeita, em se tratando de sua pessoa, é tranquila. No entanto como legislador espero sinceramente que melhore. Acredito que existam vereadores aqui dentro que tenham mais contato, que consigam inclusive mais do que eu. Mas eu acho que o Executivo deveria respeitar mais o Legislativo e trabalhar com os poderes unidos. Deveria acontecer um diálogo, as informações serem mais próximas, mais claras. É muito importante essa aproximação. Semana que vem vou buscar uma reunião com a prefeita e a mesa, que eu já tentei e não consegui, mas gostaria muito que a prefeita viesse até a Casa ter uma reunião para, justamente, nós podermos acertar esta proximidade e o trabalho conjunto”.

O parlamentar ainda explica que tem como meta ser transparente em tudo, principalmente em se tratando dos gastos. Sobre a obra de um elevador para melhorar o acesso ao parlamento, afirma que sabe da necessidade mas está com o orçamento completamente limitado. O repasse mensal que é pago junto à folha e os demais gastos não tem sido suficiente para que se possa fazer uma projeção da obra.  “Espero que em torno de 4 meses eu consiga ter um valor de, no mínimo, 60% para começar uma obra deste tipo”. A Câmara tem um orçamento anual de aproximadamente um milhão de reais.

“Como presidente, quero que minha gestão seja lembrada pela transparência e diálogo. Espero que possa responder às expectativas daqueles que confiaram em mim. Quero trabalhar os 4 anos em prol de todos para que meu trabalho seja visto com bons olhos, já que o cenário da política nacional atualmente não é favorável”, encerrou.

Postar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

oito − seis =

%d blogueiros gostam disto: