Orquestras sinfônicas da UCS e de universidade norte-americana se apresentam no Teatro Feevale

Postado por Ari Schneider  /   fevereiro 19, 2018  /   Postado em Geral  /   Nenhum comentário

No repertório estão trilhas sonoras do cinema e do musical, como as de Star Wars e West Side Story

Em sua primeira apresentação no Teatro Feevale, a Orquestra Sinfônica da Universidade de Caxias do Sul (UCS) homenageia grandes compositores do cinema e do musical, com participação especial da Orquestra Sinfônica da Universidade do Norte de Iowa, dos Estados Unidos. O espetáculo acontece dia 18 de março, domingo, às 18h. A regência ficará por conta da maestrina Rebecca Burkhardt (EUA). 

Os ingressos custam: Balcão Nobre: R$ 20,00; Frisas: R$ 30,00; Camarotes: R$ 40,00 e Plateia: R$ 50,00 

Sobre John Williams 

John Towner Williams nasceu em 1932 e é considerado um dos mais famosos compositores de trilhas sonoras dos Estados Unidos. Grande amigo de Steven Spielberg, fez inúmeras parcerias em filmes como TubarãoE.T. o ExtraterrestreJurassic Park e A Lista de Schindler. Além de Spielberg, fez uma longa parceria com o cineasta George Lucas, sendo o autor das famosas trilhas de Star Wars e Indiana Jones. Compôs outras incríveis trilhas como as da série Harry Potter e do primeiro filme Superman, estrelado por Christopher Reeve. 

Considerado como um dos maiores compositores da história do cinema, John Williams tem um estilo grandioso em suas composições, as quais lhe proporcionaram grande fama, tanto em nível de premiações, como o Oscar, quanto em popularidade. Segundo o Internet Movie Database, ele recebeu mais de 112 prêmios e 220 indicações ao longo de sua carreira. 

Sobre a Chacona para Violino e Orquestra do Violino Vermelho 

Violino VermelhoChacona para Violino e Orquestra baseia-se na música que o compositor John Corigliano compôs para o filme do mesmo nome. O filme abrange três séculos na vida de um violino magnífico, mas assombrado, em suas viagens pelo espaço e pelo tempo. Uma história assim, tão episódica, precisava ser unida por uma única ideia musical. Para esse efeito foi usado o recurso barroco de uma chacona: um padrão repetido de acordes sobre os quais a música é construída. 

Contra os acordes de chaconaCorigliano justapôs o tema de Anna, uma melodia lírica e intensa que representa a esposa condenada do construtor de violinos. A partir desses elementos, fez-se uma série de estudos virtuosos para o violino solo, que segue o instrumento de país em país, século a século. 

O compositor construiu esses elementos antes da filmagem de fato, porque os atores precisavam imitar o desempenho real da música. Então, quando o filme propriamente dito foi gravado, Corigliano fez do tema de Anna, da chacona e dos estudos, este concerto. Enquanto ele orquestrava o filme apenas para o solista e a orquestra de cordas (para enfatizar a conexão com o filme), compôs este concerto de dezessete minutos para violino e orquestra completa.  

Sobre Leonard Bernstein 

Nascido há 100 anos, Leonard Bernstein foi um dos mais geniais músicos da história americana, como maestro, compositor e pianista. Foi o primeiro artista musical do século XX nascido nos Estados Unidos a receber reconhecimento mundial, tanto à frente da Filarmônica de Nova York, da Filarmônica de Viena e de outras grandes orquestras, como de importantes projetos educativos como Young People’s Concerts, que era apresentado na televisão entre os anos de 1954 e 1989, bem como de suas marcantes composições, como West Side StoryCandide, e On the Town. 

Leonard Bernstein compôs o musical West Side Story em 1957 e, quando apresentou-o pela primeira vez na Broadway, mudou para sempre o teatro americano, como ele próprio já tinha previsto. A ideia inicial veio de Jerome Robbins, cuja coreografia inteligente e chamativa contribuiu de forma tão decisiva para o produto final. O próprio registro de Bernstein sugere que ele percebeu as implicações mais amplas do show, bem como seus enormes desafios. West Side Story esteve em cartaz por quase dois anos (contando 722 shows), fez turnês em nível nacional por mais um ano e voltou para Nova York para mais 253 apresentações.

Postar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

14 − 13 =

%d blogueiros gostam disto: