Qual é mesmo o valor da dívida do município?

Postado por Ari Schneider  /   junho 02, 2017  /   Postado em @destaque-foto, Geral  /   Nenhum comentário

A diferença entre os débitos estimados pelo prefeito e pelo contabilista tem diferença superior a 7 milhões de reais

 

Desde os primeiros meses de mandato, o Executivo tem sido cobrado insistentemente pela falta de clareza em algumas questões econômicas do município. Este é o caso da suposta dívida que a cidade teria herdado da gestão anterior. Logo no segundo mês do presente ano, o setor financeiro da prefeitura de Capela de Santana expôs um documento, durante uma das sessões da Câmara de Vereadores, o qual atestava um valor de caixa que ultrapassava 1,5 milhões. Entretanto, o Prefeito municipal, Alfredo Machado, distribuiu aos vereadores, logo em seguida, um documento que identificava uma dívida de R$ 8.594.987,04.
Segundo o tal documento, o valor a pagar seria proveniente de inclusões no SERASA, CADIN, vencimentos em telecomunicações, exames, combustível, férias, licença prêmio e hospital, além de despesas com fornecedores desde o ano de 2012 e dois financiamentos. Todavia, durante a última sessão da Câmara, esteve presente outra vez o responsável pelos cálculos na prefeitura, Giovanni Nunes, o qual afirmou que a dívida oficial do município está em R$ 1.427.309. São mais de 7 MILHÕES de diferença entre os dois valores levantados.
Sobre a relação do valor em caixa e a dívida apresentada por Giovanni, o técnico explica que são critérios diferentes. “O que se entende por dívida é uma coisa e disponibilidade de caixa é outra. Se for comparar, o fato de uma pessoa financiar um carro não significa que ela não tenha dinheiro” relata Giovanni.
“Quem fez o cálculo da dívida 8 milhões não fui eu. A informação não confere. Eu não sei se existe alguma dívida, ou algo que não esteja cadastrado. Não posso dizer que existe esta dívida de 8 milhões pois nos relatórios que eu lanço, baseados nos critérios do Tribunal de Contas e do Tesouro Nacional, não diz que tem esse valor”.
Segundo a Secretária da Fazenda, Ingrid Lerch, estes gastos existem e foram identificados pelo governo atual que, inclusive, já tem abatido deste valor mensalmente. “Graças a Deus as contas estão bem equilibradas”, afirma Ingrid.
Em síntese, Alfredo disse, em seu discurso de posse no início do ano, ter recebido da gestão anterior um débito de pouco mais de 2 milhões, sem mesmo apresentar qualquer documento que comprovasse este valor. Da mesma maneira, apresentou um novo relatório que eleva esta cotação em mais de 4 vezes. Enquanto isso, os cálculos baseados no Tribunal de Contas apontam para um número perto de 1 milhão e meio.
Já foi encaminhado pelo Vereador Leomar de Almeida um pedido de detalhamento deste débito, o qual não foi atendido até então. Por enquanto só há especulações. Não se sabe quem são os credores, nem quanto cada um deles tem a receber, nem o tipo de produto ou serviço que fora subtraído e tampouco o prazo em que estas pendências irão vencer.
A população tem questionado tudo isto. Não é possível que se possa apresentar uma dívida tão alta e não se tenha maneiras de provar quem precisa receber por direito. A final de contas, qual o valor do tal débito?

Postar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

*

vinte + 20 =